Rio já tem 2,5 vezes mais pessoas na fila por UTIs do que leitos disponíveis

Felipe Grinberg
·1 minuto de leitura

Um levantamento feito pelo GLOBO no painel Covid-19 do Estado revela que o Rio tinha ontem quase 2,5 vezes mais pessoas na fila do que UTIs disponíveis. Com a taxa de ocupação das 2.124 vagas de terapia intensiva em 88,7%, sobravam apenas 240 leitos. Um número insuficiente para atender a 582 pessoas que esperavam na fila por uma UTI.

Embora não use o termo colapso, o governo estadual negocia com a União a entrega de novos leitos. O governador em exercício Cláudio Castro esteve em Brasília esta semana para discutir com o Ministério da Saúde a possibilidade de compartilhar a gestão do Hospital da Lagoa ou estadualizá-la. Com isso, até 450 novas vagas poderiam ser criadas.

A demanda de pacientes não para de crescer. Há 15 dias, eram apenas 73 pessoas aguardando uma vaga de UTI, o que comparado à fila de ontem representa uma alta de 700%. Considerando os leitos de enfermaria, há 858 pacientes esperando por transferência, um recorde desde 14 de maio de 2020, no auge da pandemia de coronavírus. De acordo com o painel, a média de espera é de 18 horas para UTIs, três horas a mais do que anteontem. A espera por leitos de enfermaria é de 9h.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA, EXCLUSIVA PARA ASSINANTES