Rio de Janeiro tem primeira morte por sarampo em 20 anos

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O Rio de Janeiro registrou a primeira morte por sarampo em 20 anos e o primeiro óbito confirmado do país em 2020. A vítima foi um bebê de oito meses que morreu em 6 de janeiro, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, região com o maior número de casos da doença no estado.

David Gabriel dos Santos havia sido levado ao hospital em 22 de dezembro com quadro de pneumonia. Depois que ele morreu, foram coletadas amostras que confirmaram o sarampo em duas análises diferentes.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o RJ já teve 189 ocorrências confirmadas neste ano, ante 333 no ano passado inteiro. Em 2018, houve 20 registros. Segundo o secretário Edmar Santos, da gestão Wilson Witzel (PSC), apenas 10% do público-alvo foi vacinado.

"Iniciamos uma campanha em janeiro e, até o momento, em torno de 10% do público aguardado buscou a vacina. A previsão é que o Rio ultrapasse 10 mil casos de sarampo. E esse número só pode ser evitado por meio da vacinação", disse o secretário em entrevista coletiva nesta sexta (14).

A meta do governo é imunizar 3 milhões de pessoas, mas, como a adesão até agora foi baixa, o governo diz que resolveu reforçar as ações. Caminhões de vacinação estão percorrendo cidades como Nova Iguaçu, Duque de Caxias, São Gonçalo, Saquarema, Rio de Janeiro, entre outras.

Também foram montadas tendas em locais de grande concentração, como estações de barcas, metrô e trens, além da rodoviária da capital e do aeroporto Santos Dumont. A vacina está disponível ainda nos postos municipais por todo o estado, durante o ano inteiro.

A secretaria recomenda que todos que tenham entre seis meses e 59 anos de idade procurem postos de saúde o quanto antes para se imunizar, levando sua caderneta de vacinação. 

Não devem tomar a vacina pessoas com suspeita de sarampo, imunocomprometidas, gestantes e crianças com menos de seis meses. Quem é alérgico a proteínas do leite de vaca deve dizer isso ao profissional de saúde, para receber a dose feita sem esse componente.

O sarampo é uma infecção viral altamente contagiosa, transmitida pela fala, tosse e espirro. Os possíveis sintomas são mal-estar geral, febre, manchas vermelhas que aparecem no rosto e vão descendo por todo o corpo, tosse, coriza e conjuntivite.

SARAMPO NO BRASIL

Em 2019, foram registrados 18.203 casos da doença no país, com 15 mortes -14 delas no estado de São Paulo e uma em Pernambuco. O estado paulista teve 88% dos casos (16.090).

Segundo o Ministério da Saúde, no momento nove estados mantêm a transmissão ativa do vírus do sarampo e cinco estados já confirmaram casos da doença: São Paulo (77), Rio de Janeiro (73), Paraná (27), Santa Catarina (22) e Pernambuco (3). Os dados da pasta, porém, são menores porque há uma defasagem no tempo de notificação.

No início desta semana, o ministério lançou a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, com foco em pessoas de 5 a 19 anos. A vacinação começou na segunda-feira (10) e será realizada até o dia 13 de março em todo o país.