Rio registra a segunda morte por coronavírus em um presídio

Rafael Nascimento de Souza

RIO — A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) já registra o segundo óbito por Covid-19 no estado Rio. A nova morte pelo coronavírus aconteceu na noite dessa terça-feira no Hospital Doutor Hamilton Agostinho Vieira Castro, no Complexo de Gericinó, em Bangu. O detento Jorge Pereira de Almeida, de 65 anos, estava custodiado no Instituto Penal Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, desde o último dia 23.

Almeida que havia sido preso no último dia 6 – por estupro de vulnerável – passou por outras duas cadeias antes de chegar a Niterói. O homem passou pela Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, foi encaminhado para o Presídio Tiago Teles, em São Gonçalo, e no último dia 22 foi transferido para o Francisco Spargoli Rocha.

No dia 23, ele passou mal e precisou ser encaminhado para o Hospital Doutor Hamilton Agostinho Vieira Castro. Nesta terça Jorge não resistiu e morreu. Na manhã desta quarta-feira, a direção do Francisco Spargoli Rocha foi informada que o homem estava infectado com o coronavírus. Não se sabe se o detento foi ou não contaminado dentro da prisão. 

De acordo com servidores da unidade, toda a ala 5 do presídio está isolada. No local, existem presos com suspeitas de estarem infectados com a doença.

A primeira morte em um presídio no Rio foi registrado no dia 15 de abril, mas a Seap só divulgou o caso dois dias depois. O homem, que tinha 73 anos, estava preso no Instituto Penal Cândido Mendes, no Centro da capital, e, segundo a Seap, tinha problemas de saúde e chegou a ser entubado, mas não resistiu.