Rio segue tendência de queda de homicídios dolosos e aumento de mortes pelo estado

***ARQUIVO***RIO DE JANEIRO, RJ, 07.04.2019: Um homem foi morto e dois ficaram feridos numa ação do Exército na zona oeste do Rio de Janeiro. (Foto: Fabio Teixeira/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - No mês de agosto os dados da segurança no Rio de Janeiro seguem, no acumulado, tendência já observada ao longo do ano: queda do número de homicídios dolosos e aumento de mortes por intervenção de agentes do estado em relação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a agosto de 2019 foram 2.717 casos de homicídios dolosos, uma queda de 21% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram contabilizados 3.461. Em agosto deste ano, foram 318 homicídios dolosos, nove a mais do que no mês passado.

As mortes por intervenção de agentes do estado subiram de 1.075, de janeiro a agosto de 2018, para 1.249 no mesmo período de 2019 --um aumento de 16%. Em agosto deste ano, foram 170 mortes pelo estado, 24 a menos do que em julho. 

Em julho, agentes do estado mataram 194 pessoas, maior patamar desde 1998, quando o dado começou a ser contabilizado. 

Os números vêm na esteira do discurso linha-dura e das operações policiais promovidas pelo governador Wilson Witzel (PSC), eleito sob a bandeira do endurecimento na segurança pública.

Para o professor Ignacio Cano, é preciso aguardar a evolução das estatísticas antes de relacionar a política de segurança do governo Witzel com a redução dos homicídios.

"É claro que o Witzel vai dizer que está matando as pessoas que matam e que, portanto, [os números] estão caindo. Mas é preciso esperar um pouco e ver como evoluem."