Rio tem dia com mais casos registrados de Covid-19 desde o início da pandemia: 8,3 mil infectados

Arthur Leal
·3 minuto de leitura

O estado do Rio atingiu uma marca negativa em relação à pandemia nesta terça-feira: alcançou o maior número de casos registrados de novo coronavírus em apenas um dia desde março. O número de 8.385 novos infectados é muito superior ao recorde anterior, de 6.275 casos, ocorrido no dia 31 de dezembro. Além disso, o painel do governo estadual mostra que houve registro de 118 novas mortes pela doença. Agora, já são 31.630 mortes e 563.926 casos de Covid-19 ao todo em território fluminense.

Dos mais de 8,3 mil novos casos — que não necessariamente testaram positivo no mesmo dia —, 90,5% foram diagnosticados na capital: 7.592. A cidade do Rio também concentrou a grande maioria dos óbitos, 105 (89%). Os números, considerados altos por especialistas, ainda não refletem o cenário pós-feriado do carnaval. Nos últimos dias, o GLOBO mostrou que muita gente ignorou a pandemia e foi às ruas, bares e restaurantes, mesmo com o adiamento da folia, as proibições e medidas contra o novo coronavírus.

Com os dados, a média móvel no estado passa a ser de 3.261 casos e 119 mortes por dia, um aumento de 11%. O cálculo indica que há uma tendência de estabilidade no contágio, por conta de o crescimento estar abaixo de 15%.

A análise dos dados foi feita a partir do levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.

Municípios à espera de mais vacinas

Na cidade do Rio, o prefeito Eduardo Paes afirmou que só haveria vacinas suficientes para serem aplicadas até esta terça-feira, apesar de as segundas doses estarem garantidas para quem já tomou o imunizante. O município e o restante do estado aguardam novos envios por parte do Ministério da Saúde. Outras cidades importantes da Região Metropolitana e da Baixada também chegam perto de esgotar seus estoques de vacinas contra a Covid-19.

Questionada sobre como está a situação das doses, a Secretaria Municipal de Saúde de Niterói, por exemplo, garantiu apenas que há estoque para realizar a vacinação de idosos a partir de 87 anos nesta quarta-feira.

Em Duque de Caxias, município mais populoso da Baixada Fluminense, a previsão é de que as pouco mais de 900 vacinas que restam não durem mais de duas horas e acabem já no início da manhã desta quarta-feira. Por lá, também não há previsão de envio de novas doses pelo governo federal.

A prefeitura de Nova Iguaçu, por sua vez, afirma que a vacinação continua acontecendo normalmente na cidade, e que a expectativa é de que o estoque atual seja suficiente para vacinar idosos entre 80 e 84 anos na próxima semana. No entanto, o município reforçou que aguarda o envio de novos lotes da vacina pelo MS.

– A expectativa é que o estoque atual seja suficiente para vaciná-los, mas estamos aguardando a chegada de mais doses para termos a garantia de que não haverá interrupção da campanha na cidade – disse o secretário municipal de Saúde, Manoel Barreto.

Em São Gonçalo, na Região Metropolitana, os imunizantes devem acabar ainda essa semana. De acordo com a prefeitura, há garantia apenas até sexta-feira de que haverá vacinas. Nesta fase, serão imunizados idosos de 83 anos, nesta quarta-feira, e com mais de 81 anos na quinta e na sexta-feira.