Rio terá 16 minutos de fogos em Copacabana e shows pirotécnicos em mais nove pontos; veja os detalhes

·5 min de leitura

RIO —- A celebração do réveillon 2022 em Copacabana terá show pirotécnico, com duração de 16 minutos, e vai contar com efeitos no céu desenvolvidos — parte deles no Brasil — especialmente para a comemoração em Copacabana. E não faltarão sobre o público explosões de corações e cascatas luminosos.

Para evitar grandes aglomerações, a cidade terá queima de fogos mais nove locais. Haverá show pirotécnico no Parque Madureira, na Igreja da Penha, na Ilha do Governador, no Piscinão de Ramos, no Flamengo, na Barra da Tijuca, no Recreio, na Praia de Sepetiba e em Bangu.

Apesar de a meteorologia prever chuva para a virada do ano, a prefeitura do Rio diz que a festa nao vai sobrer com o mau tempo. As dez balsas com 14 toneladas de fogos de artifício foram vistoriadas ontem pelas autoridades, que deram o aval para que sejam posicionadas a uma distância de 450 metros da areia da praia e a 250 metros uma da outra.

— Chova ou faça sol, os fogos vão estar lindíssimos. À meia-noite começarão a ser encaminhadas as balsas para Copacabana, e até as 7h elas deverão estar todas posicionadas em frente à praia. Os fogos serão surpresa, mas adianto que haverá muita cor. Nosso tema é a esperança, amor e o reencontro — disse a presidente da Riotur, Daniela Maia, que, às 10h, acompanha o prefeito Eduardo Paes numa visita à estrutura da prefeitura para a virada em Copacabana.

Além das balsas, os navios que acompanharão o espetáculo no céu de Copacabana foram vistoriados, trabalho realizado nas últimas semanas.

— Hoje (ontem) foi a vistoria final, e concluímos que todas as balsas estão aptas a serem empregadas na queima de fogos do dia 31. Também fizemos ao longo do mês vistoria de embarcações de turismo e de esporte e recreio que desejam assistir à queima de fogos no mar. Amanhã (hoje), os condutores serão identificados, atestando que as embarcações foram vistoriadas. Elas devem ficar a 500 metros de distância das balsas, e vamos fazer uma linha de fiscalização— explicou o contra-almirante Ricardo Jaques Ferreira, da Capitania dos Portos.

Os fogos serão acionados por um sistema de GPS ligado a 20 satélites. O sistema é o mesmo usado nos principais parques de diversão do mundo e em réveillons de grandes cidades, como Paris. Apenas um funcionário ficará em cada balsa durante o espetáculo. Eles só entrarão em ação em caso de emergência. Embora abrigados em contêineres, esses técnicos terão a visão da queima de fogos das balsas ao lado.

— Todo ano existe uma evolução dos fogos para se fazer menos barulho, subir mais e produzir menos fumaça. Essas tecnologias a gente sempre traz para Copacabana — afirma Marcelo Kokote, responsável técnico pelo show pirotécnico, acrescentando. — Os fogos são preparados para sair mesmo com chuva e estão mais cadenciados, com várias alturas e ângulos. E o espetáculo, hoje, é mais colorido. Vamos surpreender.

Mesmo sem shows, haverá música na Praia de Copacabana: ficarão espalhadas pela orla 25 torres de som, que embalarão o público com uma trilha selecionada pelo DJ MAM. Quem ficar em casa também poderá acompanhar a transmissão pelas redes sociais da prefeitura. Daniela Maia diz que, pela ausência de apresentações e pelas restrições nos transportes, não espera um público como os de réveillons passados. Na virada para 2020, a festa em Copacabana atraiu 2,8 milhões de pessoas.

— Nos preparamos para este réveillon com uma equipe conforme fosse uma virada normal, mas só por precaução. Acho que este ano não teremos tantas pessoas como nos anos anteriores, e essa é a ideia. As torres vão tocar das 20h à 1h, e o DJ MAM também vai às casas das pessoas pela transmissão on-line. Qualquer um que quiser escutar pode ouvir a mesma música que vai tocar em Copacabana. Haverá ainda várias cantoras que vão mandar mensagens — conta a presidente da Riotur.

Bloqueios no trânsito

Quem não abre mão de passar a virada com os pés em Copacabana enfrentará desafios para chegar e sair do bairro. As restrições impostas na circulação já começaram, com o bloqueio, nas entradas da cidade, dos veículos fretados. Sempre o principal meio de transporte para o público que vai à festa, o metrô vai parar de funcionar hoje às 20h em todas as linhas. As composições só voltam a operar às 7h de amanhã.

O sistema de ônibus, também diferente de outros anos, não contará com reforço nas linhas. E não serão criados terminais em Botafogo e Ipanema. Às 20h de hoje, bloqueios começam a funcionar para impedir a entrada de ônibus na região. Uma hora antes, às 19h, o bairro será fechado aos carros: a exceção é para moradores, hóspedes e pessoas que trabalham no bairro (desde que com a apresentação de comprovantes), que poderão ingressar em Copacabana até as 22h, em veículos próprios ou táxis. Para veículos de aplicativos, vale o horário das 19h.

Na orla de Copacabana e do Leme, o estacionamento está proibido desde as 18h de ontem. Para combater irregularidades, a prefeitura vai atuar na área com o apoio de 87 reboques.

A Polícia Militar informou que, em todo o estado, 18.045 agentes, em 2.280 viaturas, farão a segurança no réveillon. Só em Copacabana, incluindo orla e ruas internas, serão 2.482 PMs. Durante o evento, parte dos militares e agentes da Operação Lei Seca usarão, pela primeira vez, câmeras nos uniformes, que filmarão as abordagens policiais. As equipes também contarão com 30 torres de observação na areia e no calçadão para monitorar o público.

Ainda serão montados na orla de Copacabana três postos médicos — na altura da Avenida Princesa Isabel, da Rua República do Peru e da Praça do Lido — que das 12h às 17h de hoje funcionarão como pontos de vacinação contra a Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos