Rio Tinto vê queda em embarques de minério de ferro por mão de obra e atraso em projeto

·1 min de leitura

(Reuters) - A Rio Tinto, divulgou nesta terça-feira embarques de minério de ferro abaixo do esperado para o primeiro trimestre, uma vez que a escassez de mão de obra e problemas na cadeia de suprimentos limitaram os esforços da mineradora global para aumentar suas operações de Pilbara na Austrália Ocidental.

O Estado rico em minerais suspendeu apenas no início de março as restrições de fronteiras instituídas para conter a propagação da Covid-19, deixando as empresas lutando por meses contra a escassez de trabalhadores de minas e de trens, mesmo com a demanda reprimida alimentando um rali para as commodities.

A Rio também teve que lidar com um atraso na produção de uma nova mina greenfield, o que levou a uma previsão de embarques anuais mais fraca do que a esperada em janeiro.

A maior produtora de minério de ferro do mundo embarcou 71,5 milhões de toneladas da commodity siderúrgica nos três meses encerrados em 31 de março, em comparação com 77,8 milhões de toneladas um ano antes e uma estimativa de consenso do Visible Alpha de 76 milhões de toneladas.

A produção do trimestre ficou em 71,7 milhões de toneladas, queda de 6,2% em relação ao ano anterior.

(Reportagem de Sameer Manekar em Bengaluru)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))

REUTERS LM NF

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos