Rio vive dias de praias lotadas e registra uma semana de alta na média móvel de mortes por Covid

Arthur Leal e Yasmin Setubal
·2 minuto de leitura
Foto: Márcia Foletto

O estado do Rio chegou, ontem, ao sétimo dia seguido com aumento na média móvel de mortes por Covid-19. Em 24 horas, houve registro de 755 novos casos e 6 óbitos, números bem abaixo dos que vêm sendo observados diariamente, já que, aos fins de semana, muitos dos dados acabam ficando retidos nas secretarias municipais. Na rede estadual de saúde, sob pressão, há fila de 344 pessoas à espera de leitos exclusivos de coronavírus.

Com os dados de ontem, a média móvel passa a ser de 2.526 casos e 105 mortes por dia. O aumento de 26% na média móvel de vítimas representa uma tendência de aumento no contágio da doença em território fluminense, que já se sustenta por uma semana. A análise dos dados foi feita a partir do levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por EXTRA, O Globo, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.

Fila por leitos cresce

A Secretaria estadual de Saúde informou que a taxa de ocupação das unidades da rede estadual destinadas à Covid está em 81% nos leitos de UTI e de 72% nas enfermarias. Dos 344 pacientes que aguardam vas, 216 são s considerados mais graves. Na capital, a prefeitura informou que há ocupação de 90% nos leitos de UTI para Covid da rede SUS (634 pacientes), que inclui unidades municipais, estaduais e federais na cidade.

Na segunda-feira, sensação térmica de 48 graus

Um calorão que chegou a 38,6 graus, segundo o sistema Alerta Rio, marcou a chegada do verão no Rio, na segunda-feira. Em Irajá, na Zona Norte, o ápice da sensação térmica, às 13h, marcou 48,6 graus. Assim como aconteceu no domingo, praias e ruas ficaram lotadas.

Segundo análises da empresa de monitoramento Cyber Labs, o Rio apresentou apenas 35% de isolamento social ontem, ou seja, 65% dos cariocas estão circulando. Até as 15h, bairros como Copacabana, Ipanema e Leblon, na Zona Sul, registraram uma queda pequena de 30% de pessoas nas ruas em comparação com dias normais, e Barra da Tijuca, 58%. O pior índice está em Botafogo, que totalizou apenas 5% a menos de movimentação.

Também ontem, o Corpo de Bombeiros do Rio deu início a uma operação que promete reforçar a segurança dos banhistas durante o verão 2020/2021. Cerca de 1,2 mil guarda-vidas vão monitorar as praias do estado.