Rio volta a ter chuva forte na tarde deste primeiro sábado do ano

·3 minuto de leitura
Foto: Divulgação/Heitor Wegmann

RIO - A chuva forte volta a cair por toda a cidade. A partir das 15 horas, a precipitação intensa foi registrada nos bairros do Jardim Botânico, Rocinha e Vidigal, na Zona Sul, e Tanque, na Zona Oeste. De acordo com o Centro de Operações Rio (COR), só neste sábado, choveu a metade da média mensal no Jardim Botânico: 73mm. Em Piedade, na Zona Norte, choveu 91mm entre 8h e 13h deste sábado, o que corresponde a 53% da média histórica de chuva para este local no mês de janeiro. Na Rocinha, choveu 70,8 mm no mesmo horário, correspondendo a 42% da média histórica para o mês.

Na Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, a chuva voltou a ceder o asfalto na altura do número 497, onde uma tempestade tinha feito o mesmo estrago em abril de 2019, chegando a abrir uma cratera no local.

— Na época já era possível perceber que a obra não estava sendo como deveria ser feita. Deveriam ter aproveitado que a rua ficou fechada durante alguns neses para trocar a galeria de águas pluviais — disse o advogado Heitor Wegmann, que mora no bairro e registrou o problema.

Bruno Ramos, Chefe Executivo do COR, disse que equipes da secretaria de Conservação (Seconserva) foram enviados ao local para avaliar os danos e as obras feitas pela gestão passada na rua:

— Os técnicos foram enviados para lá não só para reparar, mas entender o que pode ser feito para mitigar isso. Eles vão estudar a solução de engenharia para que isso não volte a ocorrer — disse Bruno, que afirmou não saber se a obra feita pela gestão anterior teve problemas de execução. — Os técnicos da Seconserva foram enviados para observar o que de fato foi feito ali e entender qual obra de engenharia foi feita, por que não deu certo, o que aconteceu de errado.

Em São Conrado, a queda de uma árvore interdita a Estrada das Canoas, na altura do número 755. Na Lagoa, um bolsão d'água ocupa trecho da Av. Borges de Medeiros, na altura da Rua Saturnino de Brito. Equipes da Prefeitura foram acionadas para o local.

Na Tijuca, um bolsão d'água ocupa ambos os sentidos da Rua Conde de Bonfim, na altura da Rua Uruguai. Em Vila Valqueire, na Zona Oeste, o afundamento de uma pista ocupa o trecho da Rua Luiz Beltrão, na altura do número 807. A Seconserva e a Guarda Municipal foram acionadas para o local. Já na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, o capotamento de um carro chegou a ocupar uma faixa da via, na altura do Km 3, sentido Grajaú.

JBEm seu twitter, o prefeito Eduardo Paes, que está acompanhando a chuva no COR, fez um vídeo alertando sobre possíveis emergências. "Não custa nada pedir o que tenho desde sempre: comunidade onde tocar a sirene, as pessoas tem que se deslocar para os pontos seguros apontados pela Defesa Civil", disse o prefeito.No momento, os núcleos de chuva que atuam sobre a Zona Sul começam a perder intensidade, ainda podendo ocasionar chuva moderada. Núcleos de chuva também permanecem atuando no entorno do Maciço da Tijuca ocasionando chuva moderada a forte na região. Na Zona Norte, a chuva continua sendo de moderada a forte e, na Zona Oeste, núcleos próximos à Grota Funda, Barra e Barrinha ganharam intensidade e deverão provocar chuva fraca a moderada na próxima hora. Já os núcleos de chuva que atuam sobre a Baixada Fluminense não estão com deslocamento em direção ao Rio. As informações são do sistema Alerta Rio.

Com a expectativa da tempestade, a cidade já havia entrado em estágio de atenção desde manhã. De acordo com o Sistema Alerta Rio, a chuva começou às 8h deste sábado, mas com intensidade fraca, na região de Santa Teresa. A chuva forte começou às 10h, no Jardim Botânico. A Rua Jardim Botânico, foi interditada no final da manhã deste sábado, entre a Rua Pacheco Leão e a Praça Santos Dumont, na Gávea, por conta de alagamento. Esta é a primeira interdição feita pela nova prefeitura.