Risco de desastre nuclear: Romênia pede que cidadãos comprem comprimidos de iodo

Planta nuclear de Zaporijia, na Ucrânia, está sob alerta de desastre nuclear. (Foto: GettyImages)
Planta nuclear de Zaporijia, na Ucrânia, está sob alerta de desastre nuclear. (Foto: GettyImages)
  • Instalação nuclear sob alerta fica na Ucrânia, a 700 km da fronteira romena

  • Possibilidade de desastre foi levantada após novos ataques ao local, na última sexta-feira

  • Comprimidos de iodo ajudam a diminuir riscos da exposição

A Romênia está em alerta para um possível desastre nuclear na Ucrânia, com quem divide a fronteira. Nesta segunda-feira (8), o ministro da Saúde romeno, Alexandru Rafila, pediu que cidadãos com menos de 40 anos estoquem “o mais rapidamente possível” comprimido de iodo.

O pedido veio após a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) alertar, no último domingo (7), para o risco de um “desastre nuclear” em Zaporijia, instalação ocupada por russos desde março. Na última sexta-feira (5), o local foi alvo novamente de ataques. Ambos países se acusam mutuamente de perpetuar o ataque.

Zaporijia, a maior central nuclear da Europa, está a 700 quilômetros da fronteira com a Romênia.

O ministro da Saúde se dirigiu a menores de 40 anos, que são os mais suscetíveis ao desenvolvimento de sequelas por exposição à radiação, e pediu que “se apresentem o mais rapidamente possível ao médico de família a quem devem pedir a receita”, segundo a agência de notícias Agerpres.

Além disso, o ministério divulgou uma lista com 2.500 farmácias onde é possível obter os comprimidos de iodo de forma gratuita.

A indústria farmacêutica romena aumentou a produção de iodo desde a invasão da Rússia na Ucrânia, por conta da possibilidade de um acidente nuclear em alguma das instalações do país vizinho. Além disso, o governo armazenou cerca de 300 milhões comprimidos de iodo.

O ministro ainda alertou para a possibilidade de aumento na procura por comprimidos de iodo ainda hoje.