Risco era iminente, diz médico que previu desabamento em Capitólio há dez anos

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O médico Flávio Freitas, 52, passeava de barco em Capitólio (MG) em março de 2012 quando uma enorme fenda em um cânion chamou sua atenção.

"Ela me chamou a atenção pelo tamanho, extensão. Eu tirei uma foto e comentei: 'essa pedra vai cair'", lembra ele, que fez um post em sua conta do Facebook na ocasião.

Quando passaram a circular os vídeos sobre o acidente na cidade mineira neste sábado (8), mostrando um cânion caindo sobre lanchas de turistas, Freitas não teve dúvidas.

"Reconheci que era o mesmo local onde eu tinha tirado a foto", diz ele.

O episódio deixou ao menos sete mortos, informou o Corpo de Bombeiros do estado. Há ainda três pessoas consideradas desaparecidas.

Freitas afirma conhecer bem a região e que aquele local é muito procurado pelos turistas. A única diferença é em relação aos ângulos dos vídeos e à altura da água, que na época era maior.

Para ele, não era preciso ser geólogo para reconhecer o problema. "Com certeza, era uma falha geológica que tinha o risco de queda iminente. Passaram quase dez anos para que acontecesse", diz.

Assim que notou que também havia feito um post com o assunto, ele tornou a foto pública em seu álbum do Facebook. A imagem, então, viralizou.

Na noite de domingo, a imagem tinha 59 mil compartilhamentos.

" Demorou... Mas um dia cumpriu seu destino. Uma pena que foi na hora errada para algumas pessoas", escreveu uma pessoa no post. " Infelizmente aconteceu, caiu", disse outro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos