RJ: Castro é alvo de investigação por dar cargos a aliados na UERJ

RJ: Castro é alvo de investigação por dar cargos a aliados na UERJ (Foto: Divulgação/Governo do Rio de Janeiro)
RJ: Castro é alvo de investigação por dar cargos a aliados na UERJ (Foto: Divulgação/Governo do Rio de Janeiro)

Candidato à reeleição no Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL) já tem mais uma investigação na conta: o governador será investigado pelo Ministério Público Eleitoral por empregar aliados na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Segundo o portal Metrópoles, o bolsonarista pode responder por abuso de poder 'político e econômico'.

Apesar de destacar ter pedido transparência entre o governo do estado, Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado, há indícios de falta de transparência sobre contratos e remunerações na UERJ, levantados pela Procuradoria de Contratos, Licitações, Convênios e Orçamento da instituição.

Um aliado de Castro, o deputado estadual Rodrigo Bacellar (PL), também será investigado como um dos articuladores dos cargos secretos.

Funcionários do Ceperj ganharam até três salários, diz MP

Investigações a respeito dos cargos secretos da Fundação Ceperj mostram que 941 pessoas que estavam na lista de pagamento também receberam salários de outros órgãos públicos. Os dados do Ministério Público e do Tribunal de Contas também relevam que funcionários ganharam até três salários num único mês. Há também CPFs com registro de óbito que estavam recebendo recursos.

O caso da Ceperj, apurado pelo UOL, mostrou que cerca de 20 mil cargos temporários foram cedidos via Fundação sem publicação em Diário Oficial ou qualquer documento público. A verba também assusta: ordens bancárias para pagamentos de pessoas contratadas que somaram R$ 69,1 milhões só em julho deste ano; o total de pagamentos em 2022 chegou a R$ 226,4 milhões. Há indícios de uso político do dinheiro, o que o governo nega.

Datafolha: Castro x Freixo tem empate técnico

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (15º) aponta que Cláudio Castro (PL), candidato à reeleição, mantêm 31% das intenções de voto para o governo do Rio de Janeiro. Castro é seguido por Marcelo Freixo, do PSB, que obteve 27% no levantamento.

Na pesquisa Datafolha anterior, do dia 1 de setembro, Castro aparecia com os mesmos 31% das intenções de voto; Freixo estava com 26%, 1 ponto a menos do que mostra a pesquisa nova.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)