RJ cogita usar navios para abrigar moradores de favelas em grupos de risco

JÚLIA BARBON
RIO DE JANEIRO, RJ, 24.03.2020 - CORONAVÍRUS-RIO - O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, recebe nesta terça-feira (24), no Pavilhão 4 do Riocentro, o primeiro efetivo do Exército Brasileiro que atuará no fortalecimento ao combate do novo coronavírus (Covid-19) na capital. (Foto: Mauricio Almeida/AM Press & Images/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O governo do Rio de Janeiro cogita usar navios da Marinha para abrigar moradores de comunidades que estejam dentro dos grupos de risco do coronavírus, como idosos e diabéticos.

A possibilidade foi citada em reunião entre o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, e lideranças de mais de 40 favelas nesta terça-feira (24).

"Precisamos discutir diversas medidas. Os navios é uma delas. É preciso que o movimento seja organizado e compartilhado com as diferenças esferas, envolvendo também as prefeituras de cada município e, principalmente, o governo federal", disse o titular da pasta.

Procurada, a Marinha ainda não se manifestou.

Na segunda (23), o governador Wilson Witzel (PSC-RJ) sancionou um projeto de lei autorizando o governo a requisitar hotéis, motéis e pousadas privadas para quarentenas, isolamentos e procedimentos médicos não invasivos. "Nós estamos com um hotel sendo preparado para receber turistas que estejam infectados", disse ele.