Secretário da Cultura se inspira em Goebbels, ministro nazista, em vídeo

Marcella Fernandes

O secretário da Cultura, Roberto Alvim, se inspirou no discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista, para anunciar uma nova premiação no País, o Prêmio Nacional das Artes. O vídeo publicado nesta quinta-feira (16) pelo representante da Cultura no governo Bolsonaro causou revolta tanto no meio artístico quanto no político. 

No início da tarde o vídeo de Alvim foi retirado do ar, após o anúncio de sua demissão.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), classificou o episódio como “inaceitável” e defendeu o afastamento do dramaturgo.

Na gravação, com pouco mais de 6 minutos, Alvim promete grandes mudanças nas políticas culturais no Brasil. “Queremos uma cultura dinâmica, mas ao mesmo tempo enraizada na nobreza de nossos mitos fundantes. A família, a coragem do povo e sua profunda ligação com Deus amparam nossas ações na criação de políticas públicas. As virtudes da fé, da lealdade, do auto-sacrifício e da luta contra o mal serão alçadas ao território das obras de arte”, afirma.

De acordo com o secretário, que assumiu o cargo em novembro, o presidente Jair Bolsonaro pediu a ele uma “cultura que salve nossa juventude”. A imagem do presidente aparece ao fundo, no vídeo, além de uma cruz e da bandeira do Brasil. “Ao País, só interessa uma arte que cria sua própria qualidade a partir da nacionalidade plena”, diz Alvim.

Em outro trecho, o secretário afirma que “a cultura não pode ficar alheia às imensas transformações polutas que estamos vivendo”. “A arte brasileira da próxima década será heróica e nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de...

Continue a ler no HuffPost