Roberto Jefferson é preso pela PF no Rio de Janeiro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
De boné, Roberto Jefferson faz arma com os dedos em frente à Catedral em Brasília
Roberto Jefferson, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, foi preso por envolvimento em organização criminosa digital. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
  • Aliado de Bolsonaro, Roberto Jefferson é preso pela PF no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (13)

  • Jefferson foi preso por participação em organização criminosa digital montada para ataques à democracia

  • Pedido de prisão foi autorizado por ministro Alexandre de Moraes, do STF

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (13) o ex-deputado e presidente nacional do PTB Roberto Jefferson por sua suposta participação em uma organização criminosa digital montada para ataques à democracia. A informação foi divulgada pela Globonews. Também foram cumpridas busca e apreensão na residência dele.

O pedido de prisão foi autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A investigação faz parte do novo inquérito aberto por ordem de Moraes após o arquivamento do inquérito dos atos antidemocráticos, para apurar uma organização criminosa digital.

Leia também:

Moraes também determinou:

  • Bloqueio de conteúdos postados por Jefferson em rede sociais

  • Apreensão de armas e acesso a mídias de armazenamento

Mesmo banido do Twitter, o ex-deputado postou hoje que a PF estava na casa da ex-mulher dele. “Vamos ver de onde parte essa canalhice”, afirmou. 

Roberto Jefferson tem usado um perfil alternativo na rede social desde que a conta oficial foi retida pela plataforma e segue atacando ministros do Supremo.

Em um dos vídeos mais recentes, o ex-deputado ameaça a realização das eleições de 2022, que não seriam realizadas sem a aprovação do voto impresso, que foi derrotado na Câmara dos Deputados.

“Se não houver voto impresso e contagem pública de votos, não haverá eleição ano que vem”, disse.

Mensalão

Não é a primeira vez que ele é preso. Delator do escândalo do Mensalão, o ex-deputado foi condenado a sete anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro pelo STF. Cumpriu pouco mais de um ano de pensa atrás das grades e mais um ano em prisão domiciliar até receber indulto natalino no fim de 2016, concedido pelo Supremo, com base em decreto presidencial.

Atualmente, Jefferson é aliado do presidente Jair Bolsonaro e tem veiculado frequentemente vídeos com ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Ele inclusive convidou o chefe do Executivo a se filiar ao PTB, além de outros membros do governo, como o ex-chanceler Ernesto Araújo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos