Roberto Jefferson: O que é fake no que circula sobre o ex-deputado nas redes

Roberto Jefferson e uma manifestação em Brasília, em 9 de julho de 2020 (Foto: Reuters / Adriano Machado)
Roberto Jefferson e uma manifestação em Brasília, em 9 de julho de 2020 (Foto: Reuters / Adriano Machado)

O ex-deputado e ex-presidente do PTB Roberto Jefferson foi preso neste domingo (23) por descumprir as regras de sua prisão domiciliar. o ex-parlamentar disparou mais de 20 tiros de fuzil e lançou duas granadas contra policiais federais que estavam cumprindo um mandado de prisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

Após o ataque, diversas informações falsas passaram a se espalhar nas redes sociais. Confira a apuração do Yahoo! Notícias e entenda o que é fake e o que é real no que circula sobre o caso.

Roberto Jefferson atua na campanha de Bolsonaro?

Em publicações nas redes sociais, o deputado federal André Janones (Avante-MG) afirmou que Roberto Jefferson é um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro (PL). A informação, contudo, é falsa.

Em uma decisão liminar, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Alexandre de Moraes determinou que Janones apagasse publicações enganosas, incluindo a de que Jefferson seria coordenador da campanha de Bolsonaro.

Segundo Moraes, as publicações espalhadas por Janones "De fato [...] se descolam da realidade, por meio de inverdades e suposições, fazendo uso de recortes e encadeamentos inexistentes, com o intuito de induzir o eleitorado negativamente, a crer que Roberto Jefferson seria o coordenador de campanha de Jair Messias Bolsonaro e que o candidato teria manifestado apoio aos atos criminosos cometidos na data de hoje".

O ministro também determinou que Janones não deverá voltar a fazer alegações falsas ou enganosas como as que foram retiradas do ar, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, por cada publicação.

Em sua conta oficial no Twitter, Janones fez piada com o assunto em um vídeo com uma "retratação" a respeito da questão da coordenação de campanha. No mesmo registro, ele ironiza a aproximação de Bolsonaro com Jefferson: "Informo ainda que o presidente Jair Bolsonaro não conhece Roberto Jefferson".

Tweets by AndreJanonesAdv

Bolsonaro tem fotos com Roberto Jefferson?

"Eu não tenho uma foto dele [Roberto Jefferson] comigo" afirmou Jair Bolsonaro em uma transmissão ao vivo no Youtube neste domingo (23). A alegação, porém, é falsa.

Em uma publicação do PTB, há uma série de imagens de Bolsonaro ao lado do ex-deputado:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Diversas publicações no perfil oficial de Roberto Jefferson no Instagram mostram imagens dos dois juntos. Em uma delas, o ex-parlamentar jurou fidelidade ao presidente: "Meu Presidente encarna todos os meus credos. Prometo defendê-lo enquanto pólvora tiver".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Roberto Jefferson é aliado de Moraes e Lula?

Apoiadores de Bolsonaro, na tentativa de descolar a imagem do presidente de Roberto Jefferson, têm afirmado nas redes sociais que o ex-presidente do PTB é aliado de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de Alexandre de Moraes. "Entendeu ou precisa desenhar, ainda mais, que o Bob é aliado de Alexandre de Moraes e Lula?" afirmou um usuário no Telegram.

Captura de tela de publicação no Telegram afirmando que Roberto Jefferson é aliado de Lula e de Alexandre de Moraes (Foto: Reprodução / Telegram)
Captura de tela de publicação no Telegram afirmando que Roberto Jefferson é aliado de Lula e de Alexandre de Moraes (Foto: Reprodução / Telegram)

A afirmação, porém, é falsa. Roberto Jefferson já foi aliado do ex-presidente Lula em seu governo, mas atualmente não o apoia mais. Em 2005, ele foi o responsável pela delação do Mensalão, esquema pelo qual também chegou a ser condenado e preso.

Também não é verdade que ele seja próximo do ministro do Supremo Alexandre de Moraes. Antes de ser preso em 2021, Jefferson ofendeu e criticou o ministro em seu perfil no Twitter: "Xandão, maridão de dOna Vivi, Cachorro do STF, decretou minha prisão por crime de milícia digital. Ele está repetindo os mesmos atos do Supremo da Venezuela, prendendo os Conservadores para entronizar os comunistas. Deus. Pátria. Família. Vida. Liberdade", escreveu ele.

Atualmente, Jefferson se identifica como aliado de Jair Bolsonaro. Seu partido, o qual presidiu até 2021, declarou apoio a Bolsonaro no segundo turno de 2018, por exemplo.

Bolsonaro foi quem ordenou a prisão?

Bolsonaro publicou um vídeo em seu perfil no Twitter, neste domingo (23), afirmando que a prisão de Roberto Jefferson atendeu a uma determinação sua ao Ministro da Justiça Anderson Torres:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Embora o mandatário tenha determinado que Torres atuasse na negociação com o ex-parlamentar para que ele se entregasse à PF, não é verdade que Jefferson foi preso por ordem do presidente.

A prisão foi determinada pelo Supremo, por meio de uma decisão de Alexandre de Moraes.

Conforme o artigo 5º da Constituição Federal, é de competência do Poder Judiciário a determinação de prisões: "ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente, salvo nos casos de transgressão militar ou crime propriamente militar, definidos em lei".

A ministra do STF Cármen Lúcia, por exemplo, já reiterou a regra ao afirmar que "quem determina a prisão e a soltura é o juiz. O juiz determina a prisão, o juiz determina a soltura". A declaração foi dada em uma entrevista à TV Justiça, em 2017. "A polícia só prende se o juiz determinar. Quem prende e solta é o juiz", concluiu.

Policial atingida estava grávida?

Usuários têm afirmado nas redes sociais que a agente da PF ferida no ataque de Roberto Jefferson aos policiais no momento da prisão estava grávida e que ela teria perdido o bebê.

Captura de tela de publicação afirmando que policial ferida estava grávida e que perdeu o bebê (Foto: Reprodução / Instagram)
Captura de tela de publicação afirmando que policial ferida estava grávida e que perdeu o bebê (Foto: Reprodução / Instagram)

A alegação, contudo, é falsa. Em nota, a Polícia Federal informou que dois policiais ficaram feridos não por conta dos tiros, mas por terem sido atingidos por estilhaços das granadas lançadas por Roberto Jefferson. "Eles foram prontamente atendidos, tiveram ferimentos leves e seguem sendo acompanhados pela PF", explicou a nota. Mais tarde, a Polícia Federal informou que os dois policiais receberam alta médica. Em nenhuma das informações divulgadas falou-se em policial grávida ou em um aborto em razão dos ferimentos.

Além disso, a captura de tela do suposto tuíte de Xuxa Meneghel sobre o caso é falso. Uma busca avançada no Twitter pela frase da suposta publicação de Xuxa não retornou resultados. Igualmente não foram encontrados tuítes arquivados sobre o assunto.