Roberto Justus diz que precisa ser um maestro na final de 'A Fazenda'

1 / 1

Roberto Justus diz que precisa ser um maestro na final de 'A Fazenda'

Roberto Justus diz que precisa ser um maestro na final de 'A Fazenda'

BEATRIZ FIALHO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Roberto Justus, 62, apresenta "A Fazenda: Nova Chance", que reúne ex-participantes de realities da televisão brasileira, como "Big Brother Brasil", "A Casa" e "Power Couple", para uma "segunda chance". Entre os finalistas, uma afinidade, todos são ex-participantes do reality da Globo: Flávia Viana, Marcos Harter e Matheus Lisboa. 

Os peões disputam nesta quinta (7) o prêmio de R$ 1,5 milhão, com transmissão ao vivo a partir das 22h30, na RecordTV. A expectativa é grande, tanto para os competidores quanto para o apresentador, que tem a missão de equilibrar as falas dos três participantes. 

 "Aqui eu tenho que ser um maestro que conduz tudo de uma forma coerente, de uma forma imparcial, tentando dar as mesmas oportunidades para todos os participantes", explicou Justus, à reportagem.

O apresentador, que anteriormente comandou outros realities na emissora, está no comando do programa pela segunda vez. Para ele, embora os participantes sejam diferentes e já acumulem experiência com reality, alguns padrões se repetem.

"Eles já vieram com uma bagagem diferente dos novatos. Mas também não acho que isso acabou influenciando. Foi até interessante ver como alguns deles repetiram os mesmos erros. Não é que eles usaram a experiência para mudar isso", disse Justus, usando como exemplo o comportamento "low profile" de Rita Cadillac.

E, por falar em erros, o apresentador explicou que sua postura diante dos erros deve ser contida. Diferentemente de suas reações explosivas e "secas" em "O Aprendiz", Justus disse que precisa ser imparcial no comando de "A Fazenda" e, corrigir um erro de gramática, por exemplo, pode "pegar mal". 

No entanto, durante a temporada, Justus se manifestava quando os peões faziam algo contra as regras. Para ele, essa postura era necessária para reforçar sua imparcialidade, o oposto de corrigir um erro simplório. "É diferente do que chamar a atenção do participante, porque isso pode interferir na imagem dele frente ao público", disse.

EXPERIENTE

Com o retorno de "A Fazenda", depois de um ano sem o programa, voltaram também os comentários sobre a apresentação de Justus. "Me chamam de robô", brincou ele, que se sente cobrado do público por uma reação explosiva como as que tinha em "O Aprendiz". 

"Era parte da exigência do jogo ver se eles aguentavam o chefe implacável. Em 'A Fazenda', é diferente. Lá quem decidia quem ficava e saía era eu. Aqui, quem decide quem fica e quem sai é o público", disse o apresentador.

No entanto, Justus acredita que sua bagagem no comando de realities seja muito importante para conduzir os participantes da melhor maneira. Depois da estreia na televisão com "O Aprendiz", Justus apresentou também "Power  Couple", um reality de casais, além de "A Fazenda". "Um apresentador tem que ser eclético", comenta.

"Eu sou a pessoa que mais apresentou realities no Brasil, ninguém apresentou três formatos até hoje. Sinto que tenho experiência para conduzir as pessoas em provas de confinamento e outras [provas] também", afirmou Justus.