Rocha em forma de 'cabeça de cobra' é encontrada em Marte; veja

Rover pousou em Marte no ano passado (Getty Images)
Rover pousou em Marte no ano passado

(Getty Images)

  • Rocha com formato de cabeça de cobra é encontrada em Marte;

  • Rover Perseverance foi o responsável pela fotografia;

  • Formação inclui várias outras pedras, incluindo uma 'equilibrista'.

O rover Perseverance, robô que ronda Marte desde o ano passado, fez fotografias de uma curiosa formação geológica que chamou a atenção dos pesquisadores. O motivo é a semelhança da rocha com a cabeça de uma cobra.

As fotos foram realizadas neste domingo (12), durante o sol – como são chamados os dias em Marte – 466 da missão. Na imagem, também é possível observar outras pedras, como uma apoiada delicadamente em cima de outra, e uma formação com múltiplas camadas logo acima da ‘cabeça de cobra’. Ao que tudo indica, esta teria feito parte do antigo delta do rio que havia no interior da cratera Jezero, região em que o rover pousou ao chegar em Marte.

Rover Perseverance

O pouso no planeta vizinho aconteceu em 18 de fevereiro de 2021 junto com o helicóptero Ingenuity, acoplado no robô. O objetivo é buscar sinais deixados por seres vivos que teriam habitado Marte e recolher amostras de solo que serão estudadas por cientistas na Terra ao longo da próxima década.

O desempenho da dupla robótica tem superado expectativas. Enquanto o helicóptero já fez mais de 29 voos sem apresentar grandes problemas, o rover começou a escolher, sozinho, quais rochas fotografar.

Para selecionar rochas de interesse, o rover Perseverance utiliza o software Autonomous Exploration for Gathering Increased Science (AEGIS). Ele foi desenvolvido no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA para outras missões, e foi adaptado para o instrumento SuperCam (aquele que fez os disparos).

Durante seu funcionamento, o AEGIS envia solicitações para a câmera de navegação do Perseverance (Navcam) tirar fotos. Depois, ele analisa as imagens em busca de rochas, priorizando-as para novas análises de acordo com o tamanho, brilho e outras características. “Em seguida, ele inicia uma sequência em que o SuperCam dispara o laser para determinar a composição química de um ou dois alvos prioritários nas fotos da NavCam”, explicou Roger Wiens, investigador principal da SuperCam.

Wiens observou que, normalmente, quando o rover seleciona seus alvos, as observações acontecem somente no dia seguinte. “Se o rover escolha seus próximos alvos, ele pode disparar contra eles logo em sequência”, disse. A vantagem de ter os resultados das análises do instrumento SuperCam disponíveis é que a equipe pode notar rapidamente composições químicas de interesse, com tempo para decidir se são necessárias mais análises antes de seguir na exploração do planeta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos