Roda de samba com netos de Martinho da Vila inaugura projeto Manouche no Jardim

Aquelas cortinas aveludadas vermelhas magnéticas ganharão, de certa forma, um toque verde. O Manouche, que ocupa com garbo o subsolo da Casa Camolese, no Jockey, sobe as escadas e passa a ocupar também o Jardim da Ruína, o gramado anexo à casa que acaba de ganhar um novo mobiliário e uma pegada de lounge, com direito a trilha sonora.

Nova casa de shows da Tijuca: Yolanda Club tem atrações para adultos de todas as idades

De drinques sem álcool a marshmallow: saiba o que promete viralizar na gastronomia em 2023

A estreia do projeto Manouche no Jardim será neste domingo, das 17h às 20h, com a roda de samba Canta, Canta Minha Gente, de Raoni e Dandara Ventapane, netos de Martinho da Vila, com couvert artístico sugerido de R$ 30 por pessoa. Reservas pelo telefone 3514-8200.

— A programação seguirá por todos os domingos de janeiro e fevereiro e, a partir do próximo dia 2, sempre às quintas-feiras, das 19h às 23h, teremos a festa Quintal, com o DJ Marcos Meskita e entrada gratuita — adianta a diretora artística do Manouche, Alessandra Debs.

Dandara conta que o convite surgiu após uma apresentação da dupla por lá no fim do ano passado:

— Vai ser uma roda mais com a nossa cara, com músicas autorais, além de sucessos do nosso avô, como “Ex-amor” e “Casa de bamba”, e da nossa tia Mart’nália, como “Cabide” e “Entretanto”.