'SP respeita o resultado das urnas', diz Garcia sobre bloqueios de bolsonaristas

Rodrigo Garcia fala sobre rodovias bloqueadas por apoiadores de Jair Bolsonaro (Foto: Pablo Jacob/Divulgação/Flickr/RodrigoGarcia)
Rodrigo Garcia fala sobre rodovias bloqueadas por apoiadores de Jair Bolsonaro (Foto: Pablo Jacob/Divulgação/Flickr/RodrigoGarcia)

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), falou nesta terça-feira (1º) sobre o bloqueio de rodovias e afirmou que o estado “respeita a democracia” e que “não vai ser manifestação ou baderna” que vai fazer com que a sociedade não reconheça o resultado das urnas.

Desde o último domingo (30), quando o presidente Jair Bolsonaro (PL) saiu derrotado da eleição, bolsonaristas foram para rodovias de todo o país para contestar o resultado do pleito.

Em coletiva de imprensa, Garcia fez um apelo para que os atos se encerrem.

“As eleições acabaram, vivemos em um país democrático. São Paulo respeita o resultado das urnas e nenhuma manifestação vai fazer com que a democracia do Brasil retroceda”, declarou.

“Aos vencedores o mandato, aos perdedores o reconhecimento da derrota. É isso que determina a Constituição”, completou.

Na noite de segunda-feira (31), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, determinou o fim dos atos que ocupam as vias de maneira ilegal. Com essa decisão, o governador afirmou que não haverá mais negociações.

“Hoje, em virtude da decisão do STF, as negociações se encerram e, a partir de agora, vamos aplicar aquilo que determina a decisão judicial", disse Garcia.

Ele anunciou que irá multar em R$ 100 mil por hora os veículos que participam de manifestações; fichar e, eventualmente, prender manifestantes que resistirem a desobstruir as vias; e, se necessário, usar a força policial para liberar as vias.

Até o momento, o estado conseguiu liberar 40 pontos de interdições.