#Verificamos: É falso que Rodrigo Maia disse que fundo eleitoral é mais importante que ‘a vida de alguns brasileiros’

É falso que Rodrigo Maia disse que fundo eleitoral é mais importante que ‘a vida de alguns brasileiros’ - Foto: Reprodução

por CHICO MARÉS

Circula nas redes sociais um suposto tuíte do presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele teria dito que desviar dinheiro do fundo eleitoral seria “prejudicial à democracia”, mesmo que isso custasse “a vida de alguns brasileiros”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Desviar o dinheiro do Fundão Eleitoral para outros fins é prejudicial a democracia (sic). Devemos manter este pilar intacto nem que isto custe a vida de alguns brasileiros. #FundaoEDemocracia”
Tuíte atribuído ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e retuitado por mais de 800 pessoas até as 16h30 do dia 6 de abril de 2020

FALSO

O tuíte analisado pela Lupa não foi publicado pelo presidente da Câmara dos Deputados. O perfil que publicou a declaração é falso. Olhando atentamente, é possível reparar que, embora use o nome e a foto do deputado federal, o endereço da conta é @RobrigoMaia, com “b” ao invés do “d”. Já o endereço da conta real de Maia é @RodrigoMaia, com “d”, obviamente. A conta falsa foi suspensa do Twitter.

Em seu perfil na plataforma, o presidente da Câmara se pronunciou sobre essa peça de desinformação. “Fake news é coisa de covarde. Criaram uma conta falsa com meu nome para desinformar e mentir. Pra esses pistoleiros digo: os cães ladram, mas a caravana passa. Vamos em frente que temos uma crise grave”, disse.

No domingo (5), em entrevista para o programa Canal Livre, da Band, Maia foi questionado sobre o assunto. Ele respondeu que não faz objeção a utilizar os recursos do fundo eleitoral no combate à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Pontuou, porém, que a iniciativa depende do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Quem tem a prerrogativa de mexer exclusivamente no orçamento público é o Governo Federal. Ele pode mexer em qualquer daquelas rubricas que não têm recurso vinculado. O fundo eleitoral não é recurso vinculado”, disse.

Esse conteúdo também foi verificado pelo Aos Fatos.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Maurício Moraes