Roger Abdelmassih é atacado por preso em hospital penitenciário de SP

·1 minuto de leitura
O ex-médico Roger Abdelmassih no aeroporto de Congonhas, após ser detido. (20-8-2014).
O ex-médico Roger Abdelmassih no aeroporto de Congonhas, após ser detido. (20-8-2014).

O ex-médico Roger Abdelmassih, de 76 anos, condenado por estupro de pacientes, foi atacado por um preso em um hospital penitenciário na Zona Norte de São Paulo.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) do estado, a agressão aconteceu na quarta-feira, depois que um detento, que teve a irmã estuprada recentemente, chegou ao Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário, no Carandiru, para ser medicado por conta de uma fratura no fêmur.

— Quando soube que Roger estava na mesma ala do hospital penitenciário, ele invadiu o quarto, pulou sobre Roger e o atacou com as mãos — afirmou o secretário de Administração Penitenciária, Nivaldo Restivo, ao G1.

Ao perceber o ataque, funcionários do hospital controlaram o preso, e o ex-médico não ficou ferido. Exame de corpo de delito confirmou que não houve nenhuma lesão.

Abdelmassih está internado no Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário desde 10 de setembro, quando foi transferido da penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

Condenado a 181 anos de reclusão por 48 estupros, Abdelmassih cumpria prisão domiciliar desde 19 de abril, após ser considerado parte do grupo de risco da Covid-19. O pedido havia sido feito em 25 de março pela esposa e advogada dele, Larissa Abdelmassih, após a soltura de outros detentos do grupo de risco, e foi atendido pela juíza Sueli Zeraik.

Em 31 de agosto, o Tribunal de Justiça de São Paulo revogou a prisão domiciliar e determinou que Abdelmassih voltasse a cumprir pena em Tremembé. Por motivos de saúde, porém, o ex-médico conseguiu a transferência para o hospital na capital em setembro.