Roger entende peso do Dérbi, mas diz que derrota não pode ser um divisor

Palmeiras não conseguiu vencer o Corinthians em Itaquera (Foto: Luis Moura / WPP)

Roger Machado não quis culpar a arbitragem pela derrota do Palmeiras, na Arena Corinthians. Após o Dérbi, o técnico disse entender o peso do resultado, mas se recusou a considerar este um divisor de águas em seu trabalho.

- O peso da derrota em um clássico tem impacto. Foi o primeiro clássico do ano. Foi um jogo de primeira fase do Campeonato Paulista, não pode ser divisório. Não tem como alguma coisa ser divisória em fevereiro. Mas não tenha dúvidas de que tem um peso essa derrota. Seguimos bem colocados - pontuou o treinador.

- A gente sempre precisa tirar lições das derrotas. O que eu idealizei e projetei para o clássico, obviamente, não foi esse resultado. Agora, ajustes precisamos fazer. Quando a gente se depara com situações que geram dificuldades, precisamos consertar para que não aconteçam novamente - disse.

Na avaliação do comandante alviverde, a escalação do Corinthians sem um jogador de referência acabou sendo um problema para o Verdão, que mesmo assim vinha fazendo um jogo equilibrado, até a expulsão de Jailson, no segundo tempo.

- Houve momentos distintos no jogo muito em cima das situações de polêmica. O esquema que também, com uma flutuação, nos gerou uma dificuldade. Mas não foi essa dificuldade que fez o Corinthians abrir o placar. Do nosso time vi que até o momento do 0 x 0 e mesmo depois do gol, o jogo estava equilibrado. Foram jogos distintos depois da expulsão. Muda o contexto, muda a estratégia, você precisa se defender com um jogador a menos - completou.

O Verdão perdeu pela primeira vez depois de nove rodadas no Paulista - são seis vitórias e dois empates e ainda a liderança geral no Paulistão. O time agora começa a pensar na Libertadores, já que estreia na quinta-feira contra o Junior Barranquilla, na Colômbia.

- Foi a primeira derrota e em um clássico sempre tem um peso grande. Tem um impacto. As circunstâncias do que aconteceu muda. Mas vamos seguir sabendo que foi o clássico da fase classificatória. Temos uma estreia na Libertadores no meio da semana, que a gente tire as lições e leve de forma positiva para essa competição importante. Prefiro ver o copo cheio, e não vazio - encerrou.











E MAIS: