Rolls-Royce presidencial: carro usado na posse de Lula custa R$ 533 mil, na Europa

Fabricado no ano 1952, o Rolls-Royce Silver Wraith presidencial é considerado um modelo raro. Há poucas unidades disponíveis e comercializadas em sites especializados, quando os donos decidem vendê-los. Um dos exemplares foi anunciado em um site português, em abril do ano passado, por 94 mil euros - valor equivalente a R$ 533,4 mil.

Assista: Vídeo mostra em ação o equipamento antidrone usado na posse de Lula

Compare em imagens: Como foram as posses de Lula e Bolsonaro?

O preço do anúncio ajuda a dar uma ideia do quanto vale o exemplar presidencial. O modelo vendido na Europa por mais de meio milhão de reais não é conversível como o que foi usado por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante a cerimônia de posse neste domingo.

Conforme a descrição do anúncio, os modelos fabricados em 1952 foram os primeiros do pós-guerra da Rolls-Royce. O veículo roda com gasolina, tem câmbio manual de quatro marchas, motor de 150 cv e quatro portas.

O utilitário rodou apenas 82 mil km desde que foi fabricado. Depois de oito meses anunciado, o carro ainda está disponível para a venda.

Carro presidencial

O automóvel tem 70 anos e acompanha os presidentes eleitos desde a década de 1950, incluindo a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O tradicional Rolls-Royce Silver Wraith foi usado pela primeira vez na posse de Juscelino Kubitschek, em 1956, segundo informações do Itamaraty.

Conheça: Quem entregou a faixa para Lula?

Além das posses, outra tradição se criou com o automóvel inglês, a de participar dos desfiles anuais de 7 de setembro.

O Rolls-Royce, que foi transportado de navio de Londres para o Rio de Janeiro em 1953, foi "estreado" durante o segundo governo de Getúlio Vargas, em fevereiro daquele mesmo ano, na cidade de Volta Redonda (RJ).

Em sua única visita ao Brasil, em 1968, a rainha Elizabeth II, morta em setembro do ano passado, andou no carro histórico na orla do Rio de Janeiro.

Antes dela, outro líder internacional também já havia andado no carro agora envolto em uma polêmica. Foi Charles de Gaulle, ex-presidente da França, quando visitou o país em outubro de 1964.

Dez anos depois, em 1974, o carro foi usado pelo General Médici em cerimônia oficial de inauguração da Ponte Rio-Niterói. Ele estava acompanhado do então Ministro dos Transportes, Mario Andreazza.

Em 2001, Tony Blair, então primeiro-ministro da Inglaterra, país de origem do Rolls-Royce, foi flagrado “inspecionando” o carro no Palácio da Alvorada, na companhia do então presidente Fernando Henrique Cardoso e do presidente da Rolls-Royce, Ralph Robins.