De Romário a Suárez, jornalistas elegem as contratações mais impactantes do futebol brasileiro; veja lista

Celeiro de craques e reconhecido mundialmente como um exportador de talentos, o futebol brasileiro tem se acostumado nas últimas décadas a repatriar estrelas e a receber nomes que brilharam na Europa. O mais novo astro a chegar é o atacante Luis Suárez, de 35 anos, que deve estrear hoje. O ex-Barcelona, Liverpool e Atlético de Madrid acertou com o Grêmio até dezembro de 2024 e, após ser regularizado ontem na CBF, será titular nesta terça-feira, às 19h30, contra o São Luiz pela Recopa Gaúcha.

— É um jogador acima da média. Ele tinha algum tempo sem pré-temporada. Está com um pouco de dores, mas sem dúvida alguma ele jogará. Enquanto estiver bem, vai jogar — confirmou o técnico Renato Gaúcho.

Desde que o Grêmio anunciou o veterano — que disputou no Catar a sua quarta Copa —, ganhou força nas redes sociais a pergunta sobre qual o lugar da contratação do uruguaio na lista das mais impactantes dos clubes do país.

Para responder, o GLOBO convidou jornalistas de diferentes partes do país para eleger as chegadas que mais balançaram o futebol local nas últimas décadas. Cada votante apontou cinco, sem lista prévia, com os melhores colocados recebendo maiores pontuações. O uruguaio ficou na quinta colocação.

— Sem jogar, apenas para ser apresentado, Suárez já levou mais de 30 mil gremistas à Arena. Agora, projeta-se mais de 40 mil. Isso é público de final de campeonato e já demonstra o tamanho da expectativa criada — conta o jornalista Filipe Dias, da Gaúcha ZH. — Clima é de festa, um ritual de passagem pós-Série B.

A contratação mais lembrada foi a do ex-atacante Romário, quando saiu do Barcelona e acertou com o Flamengo, em 1995, aos 29 anos. No ano anterior, ele havia sido eleito o melhor do mundo depois de conquistar a Copa do Mundo — um movimento impensável nos dias de hoje. Recebido com desfile em carro aberto, a contratação, entretanto, não rendeu os títulos esperados.

Marco no futebol do país

A chegada de Romário também é um marco de um movimento que o Brasil era pouco acostumado: a vinda de estrelas do futebol europeu. Até a década de 1980, salvo raras exceções e retornos, as principais transações envolviam rivais locais ou interestaduais: como a saída de Rivellino do Corinthians para o Fluminense, na década de 1970; de Bebeto, do Flamengo para o Vasco, nos anos 1980; ou de Rivaldo, do Corinthians para o Palmeiras, na década seguinte — essas duas últimas lembradas no top-10.

Outro campeão do mundo que retornou, mas já na parte final da carreira, foi o bicampeão mundial Ronaldo, que chegou ao Corinthians em 2009, aos 32 anos. Segundo no ranking, ele fez 69 jogos pelo clube paulista, com 35 gols até se aposentar, em 2011. A ida do holandês Clarence Seedorf ao Botafogo e de Ronaldinho Gaúcho ao rubro-negro, além de Suárez no Grêmio, fecham o top-5.