Rosa Weber manda PGR apurar suposto crime do presidente do BC e do dono do banco BTG Pactual

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ministra Rosa Weber, do STF
Ministra Rosa Weber, do STF, enviou à PGR notícia-crime contra presidente do BC e dono do BTG Pactual (Photo VICTORIA SILVA/AFP via Getty Images)
  • Ministra do STF Rosa Weber manda PGR apurar suposto crime do presidente do BC e do dono do banco BTG Pactual

  • Campos Neto e André Esteves são suspeitos da prática de insider trading, o uso indevido de informações privilegiadas

  • Em áudio vazado, Esteves diz a interlocutores que foi consultado por Campos Neto sobre taxa Selic

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou nesta sexta=feira (12) à Procuradoria-Geral da República (PGR) pedido de investigação contra o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e contra o dono do BTG Pactual, André Esteves. Cabe à PGR decidir se há elementos para abertura de inquérito.

A notícia-crime contra os dois foi protocolada em outubro pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) pelo crime de insider trading, ou seja, o uso indevido de informações privilegiadas.

Em áudio vazado para a imprensa, André Esteves informa ter sido consultado por Campos Neto no ano passado sobre qual seria o limite para a queda de juros, a Selic. A fala foi dada durante uma reunião do BTG Pactual realizada em outubro e divulgada pela site Brasil 247.

Andre Esteves, dono do banco BTG Pactual
Andre Esteves, dono do banco BTG Pactual (Foto: REUTERS/Nacho Doce)

“Eu achei que a gente meio que… caiu demais os juros na pandemia, para esses 2%. Eu me lembro que… tem um conceito que chama lower bound, alguns aqui já devem ter ouvido falar, que é qual a taxa de juros mínima. E eu me lembro que o juros tava assim em uns 3,5% e o Roberto me ligou para perguntar: ‘Pô, André, o que você está achando disso, onde você acha que está o lower bound?’. Eu falei assim: ‘Olha, Roberto, eu não sei onde que está, mas eu estou vendo pelo retrovisor, porque a gente já passou por ele. A gente… acho que em algum momento a gente se achou inglês demais e levamos esse juros para 2%, o que eu acho que é um pouquinho fora de apreço. Acho que a gente não comporta ainda esse juros”, declarou o banqueiro.

A PGR vai apurar se houve a prática do crime de uso indevido de informação privilegiada na negociação de papéis pelo mercado, com o objetivo de obter lucro ou evitar uma perda.

Na conversa com investidores, Esteves também disse que havia conversado com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, sobre a demissão de quatro secretários do Ministério da Economia.

"Para quem não sabe, o secretário do Tesouro [do Ministério da Economia] acabou de renunciar, com mais 3 outros, tem mais 4 ameaçando. E eu atrasei um pouquinho porque o presidente da Câmara me ligou para perguntar o que eu achava", relatou o banqueiro a interlocutores.

Os técnicos pediram exoneração após manobra do governo para furar o teto de gastos proposto pela ala política, com o intuito de viabilizar o Auxílio Brasil, aposta eleitoral de Bolsonaro para 2022.

Esteves chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2015 suspeito de planejar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos