Rosa Weber nega pedido para suspender tramitação da PEC dos Precatórios

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta terça-feira um pedido para suspender a tramitação da PEC dos Precatórios, aprovada na semana passada em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

A ministra rejeitou os argumentos apresentados pelo PDT, que questionou o fato do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ter autorizado o voto de deputados que estavam em missão oficial no exterior para conseguir aprovar o texto.

Rosa Weber, no entanto, afirmou considerar que a medida "não traduz hipótese de transgressão direta a princípios ou regras de extração constitucional" e disse que não há elementos que mostram que o ato de Lira "tenha sido editado de forma casuística e desvinculado do interesse público".

"Os impetrantes não se desincumbiram do ônus de demonstrar inequivocamente a ocorrência de abuso de poder ou desvio de finalidade", escreveu a ministra.

Lira quer votar a PEC em segundo turno nesta terça-feira. Depois, o texto ainda precisa passar pelo Senado. O projeto é prioritário para o governo federal por viabilizar o Auxílio Brasil de R$ 400 em 2022, ano eleitoral.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos