Rossi, Zidane e Ghiggia: relembre os algozes do Brasil em Copas do Mundo desde 1950

O Brasil sempre foi um adversário duro de se enfrentar na Copa do Mundo e tirar a seleção da competição é um título à parte para qualquer equipe. Os jogadores responsáveis por essas eliminações, seja com gol ou defesas importantes, também ficam marcados na história como carrascos do time verde e amarelo. O italiano Paolo Rossi é o algoz mais famoso.

Na última Copa do Mundo, o Brasil foi eliminado para a Bélgica, em uma grande atuação do goleiro Thibaut Courtois e do atacante Romelu Lukaku, mas o verdadeiro carrasco da seleção de Tite foi o meio-campista Kevin de Bruyne, do Manchester City, que fez o segundo gol da partida.

Após o título de 2002, o Brasil não conseguiu chegar à final novamente. Em 2006, foi eliminado nas quartas pela França, com Henry sendo carrasco. Quatro anos mais tarde, foi a vez da Holanda eliminar os brasileiros, com show do meio-campista Wesley Sneijder. Em 2014, no próprio país, toda a seleção alemã, após o 7 a 1, se credencia como uma pedra no sapato depois da eliminação nas semifinais.

Zinedine Zidane, Claudio Caniggia, Joel Bats e Alcides Ghiggia são outros algozes do Brasil nas Copas passadas. A seleção peruana, em 1978, também pode ser considerada um carrasco, devido "a suspeita de ter entregado o jogo para a Argentina, que, com a vitória por 6 a 0, ficou a vaga na final pelo saldo de gols. Confira lista completa: