Roubo de celular: o que os analistas sugerem para proteger seus dados e apps

O relato do agente de talentos Bruno de Paula sobre o pesadelo após o roubo do celular repercutiu nas redes sociais, Tendo sido compartilhado cerca de 25 mikl vezes. O motivo é o transtorno causado pelo furto do celular e o debate sobre a (in)segurança digital.

Bruno estava regressando de três semanas de viagem e estava em um táxi quando teve o celular roubado. Ele pretendia pedir comida por delivery na volta para casa. E o celular foi roubado com o aparelho destravado.

A partir daí, nas palavras de Bruno: "minha vida virou um pesadelo sem precedentes". Em um primeiro momento, ele achou que o prejuízo seria só o do valor do aparelho. Ao chegar em casa, pegou um celular velho e consultou seu e-mail.

Em poucos minutos, os assaltantes já haviam gasto R$ 27 mil com base na conta dele no Nubank. O agente de talentos procurou a operadora do celular, que informou que o chip e o telefone estavam bloqueados, mas isso não foi suficiente para impedir a ação dos criminosos.

Depois de registrar boletim de ocorrência on-line, no dia seguinte, Bruno se deparou com outros gastos feitos na sua conta no Banco do Brasil, com dois empréstimos, duas tranferências (uma delas agendada) e um Pix. No total, a fatura passava de R$ 100 mil.

Não bastassem todas estas operações financeiras, os criminosos ainda pediram delivery de bebidas, com sete garrafas de Whisky a R$ 329 cada, compradas no iFood, pois ele tinha registrado um cartão do pai dele.

- Toda vez que chega e-mail, acho que tão tentando invadir. Acordo de hora em hora para olhar. Não tenho paz - resume o agente de talentos, que se queixa da resposta das empresas a casos como este.

O portal g1 fez contato com os bancos em que o agente de talentos tem conta. O Nubank informou que "lamenta o ocorrido" e que "o caso já foi solucionado com o cliente".

Já o Banco do Brasil disse que "acionou procedimentos de segurança logo após tomar conhecimento da ocorrência, com rápida recuperação de valores".

"O BB adota medidas de prevenção a fraudes e orienta seus clientes a nunca anotar senhas em aplicativos do celular - tais como bloco de notas ou aplicativos de mensagens -, sempre informar tempestivamente à instituição financeira movimentações suspeitas em sua conta. A comunicação rápida possibilita que as providências devidas possam ser efetuadas o mais breve possível. No caso do BB, o cliente deve recorrer à Central de Relacionamento, agências ou ao SAC para denunciar que foi vítima de golpe ou fraude", disse o banco.

O relato de Bruno evidencia a quantidade de informações financeiras disponíveis no celular e apps e a dificuldade de mantê-los em segurança.

Confirmação de login em duas etapas, senhas complexas e criação de pasta segura dentro do celular. Essas são apenas algumas das dicas mais importantes que devem ser cada vez mais seguidas pelos usuários, alertam especialistas em segurança digital.

Nina alertou ainda sobre o uso de e-mails de recuperação. "Deixe um e-mail só pra recuperações de contas e de preferência logado em outro dispositivo e não no seu celular para casos assim, qualquer tentativa de alteração que solicite código por e-mail", escreveu em sua rede social.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos