Roubos de carga têm redução de 35% no Rio em fevereiro; homicídios não tiveram queda

Os roubos de cargas caíram 35% no Rio, no mês de fevereiro, de acordo com números do Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgados nesta quinta-feira. A comparação foi feita com o mesmo mês do ano passado. Foram 418 ocorrências em fevereiro de 2020 contra 645 em 2019. A redução é, em média, de nove casos por dia.

Já o número de homicídios dolosos, crime que vêm em grande queda desde o ano passado, manteve-se inalterado este ano em relação a 2019. Foram 323 casos em fevereiro de ambos os anos. Se somados os índices dos dois primeiros meses deste ano, houve uma pequena redução de 5%. Foram 672 casos em 2020 contra 709 em 2019.

Os roubos de veículos apresentaram queda na comparação mensal. Em fevereiro deste ano, foram 2.925 contra 3.554 casos no mesmo mês do ano passado, uma diminuição de 18%. Já somados os dois primeiros meses do ano, a queda foi de 16% - 6.171 casos em 2020 e 7.339 em 2019.

Já os roubos de rua (soma de roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) também reduziram 13% na comparação mensal e no acumulado anual, 14%.

As mortes decorrentes de confrontos com a polícia (os chamados autos de resistência) tiveram um aumento de 13%, com 19 casos a mais. Em fevereiro deste ano, foram 164 casos contra 145 no mesmo mês do ano passado. O número de autos de resistência foi o pior registrado no mês de fevereiro no Rio desde 1998, quando teve início a série histórica para o crime.

Mudança de panorama com coronavírus

Os números divulgados pelo ISP nesta segunda são os referentes aos índices de criminalidade do mês passado, quando não havia qualquer medida de combate ao coronavírus no estado do Rio. As ações começaram a ser tomadas no fim da segunda quinzena de março. Em resolução do último dia 13, o secretário de Polícia Civil do Rio, delegado Marcus Vinicius Braga, determinou que apenas casos graves sejam registrados presencialmente nas delegacias do Rio. Estão nessa lista homicídios, roubos e remoções de cadáveres. Delitos que envolvam violência doméstica ou que tenham como vítima crianças e adolescentes também poderão ser registrados dependendo da avaliação do delegado. A intenção é diminuir a circulação de pessoas em delegacias.

Como publicado pelo EXTRA no último domingo, com a resolução, o número total de registros de ocorrência feitos em todo o estado também diminuiu: entre 7 e 11 de março, foram feitos 11.045; já entre os dias 14 e 18 do mesmo mês, foram 6.549. No total, são 4.496 registros a menos, uma redução de 900 a cada dia.

Levantamento feito pelo EXTRA também revelou uma diminuição de 35% nos homicídios, caindo de 97 para 63 casos. Já os roubos tiveram uma queda de 28,6%, reduzindo de 2.332 episódios para 1.664. Foram comparados os números dos registros feitos entre os dias 14 e 18 de março, quando já havia casos confirmados no estado, e aqueles feitos entre os dias 7 e 11 do mesmo mês, período em que ainda não havia nenhuma ocorrência da doença no Rio. Em média, foram menos sete mortes e 134 roubos por dia no estado.