Roubos e mortes violentas seguem em queda em Niterói

O Globo
·2 minuto de leitura
Pedro Teixeira / Pedro Teixeira

NITERÓI - Seguindo a tendência observada nos últimos meses de um ano marcado por uma pandemia, os principais indicadores de criminalidade da cidade continuam em queda, batendo recordes da série histórica do Instituto de Segurança Pública (ISP), publicada desde 2003. Os roubos de rua e de veículos novamente registram o menor número no acumulado do ano, de janeiro a novembro, assim como as mortes violentas.

Foram 1.569 roubos de rua, de janeiro a novembro deste ano. Em comparação com esse mesmo período de 2019, quando foram registrados 3.216 casos, a redução foi de 51,2% em 2020. Na comparação dos roubos de veículos, foram 464 este ano e 1.285 de janeiro a novembro do ano passado, 63,8% a menos.

De janeiro a novembro deste ano foram registrados 46 homicídios —incluindo latrocínios —,56,6% a menos do que o mesmo período do ano anterior. Já as mortes provocadas por ações policiais, apesar de terem registrado redução de 57,8% este ano, com 48 casos, contra 114 em 2019, não chegaram ao menor índice da série histórica, obtido em 2007 e 2013: naqueles dois anos, foram registrados 27 autos de resistências de janeiro a novembro.

Comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM), o coronel Sylvio Guerra diz que para manter essa redução tem feito mudanças quase diárias no policiamento. Ele atribui o fato de os números continuarem caindo mesmo com a flexibilização e a maior circulação de pessoas nas ruas também à ocupação no Morro do Viradouro, inciada há quatro meses.

— Os números continuam caindo praticamente há dois anos seguidos, mas o desafio não tem sido fácil. É muito difícil manter isso. Diariamente, vamos monitorando e fazendo estudos de cada área, modificando o policiamento. Esse trabalho tem dado certo — destacou o comandante.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)