Roubos em Niterói atingem menor patamar desde 2012; mortes pela polícia quase dobram em um ano

Giovanni Mourão
Agentes do Niterói Presente em patrulhamento na orla de Icaraí: região teve redução de 45% no número de roubos em 2019

NITERÓI — Dados divulgados nesta terça-feira (21) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) apontam que, no ano passado, Niterói registrou o menor índice de roubos desde 2012. Foram 5.763 ocorrências em 2019 contra 8.840 em 2018, o que representa uma queda de 35%. Em contrapartida, os autos de resistência — mortes causadas por policiais em confronto — quase dobraram, subindo de 68 em 2018 para 124 em 2019: uma alta de 82% que representa uma morte a cada três dias, sendo ainda o maior índice de toda a série histórica, iniciada em 2003.

Em relação aos roubos, todas as localidades da cidade registraram redução. A 77ª DP (Icaraí) foi a que apresentou maior queda, saindo de 1.550 registros em 2018 para 850 no ano passado: índice 45% inferior. Foi a primeira vez desde 2004 que a região anota menos de mil roubos em um ano.

Com uma baixa de 41%, a 81ª DP, que atende a Região Oceânica, foi a segunda delegacia com maior queda (de 1.200 para 706). Na Zona Norte, área da 78ª DP (Fonseca), a redução foi de 3.288 casos para 2.107: menos 36%. Em seguida, respectivamente, estão a 79ª DP (Jurujuba) e a 76ª DP (Centro), com índices 27% e 23% inferiores. Respectivamente, a queda foi de 1.172 para 851 casos; e de 1.630 para 1.249 casos, entre 2018 e o ano passado.

Autos de resistência e homicídios

Já os registros de mortes por intervenção policial subiram em 2019 em todas as regiões, com exceção da 79ª DP, que manteve os mesmos 18 casos de 2018. Em contrapartida, a Zona Norte computou quase metade das 124 anotações de 2019, sendo 58 desses registros feitos na 78ª DP. Em 2018, a região apresentou 26 registros.

Na 77ª DP, o aumento foi de nove para 23; enquanto na 76ª foi de 12 para 15 e na 81ª de três para dez.

Os homicídios dolosos na cidade tiveram leve queda, com sete casos a menos: 112 em 2018 contra 105 em 2019. A 77ª, 78ª e 81ª DP tiveram pequena variação para mais ou para menos. A 79ª DP, por sua vez, reduziu o indicador significativamente, de 28 para 13 ocorrências; enquanto a 76ª DP apresentou efeito contrário, aumentando de 12 para 29.

Comandante do 12º Batalhão, o coronel Sylvio Guerra afirma que Niterói está alcançando números de redução de criminalidade que não eram registrados há mais de dez anos.

— A alta no número de autos de resistência ocorre em razão do aumento de operações que o batalhão fez que, consequentemente, refletiu-se em mais confrontos. A redução dos roubos também é reflexo do número de operações policiais: foram mais de 1.300 bandidos presos somente em 2019, ou seja, houve muito mais prisões do que mortes. Já o aumento de homicídios na região central está ligado à disputa de facções que ocorreu durante alguns meses no Morro do Estado — detalha Guerra.

Melhor dezembro dos últimos 15 anos

Destacando a ajuda que o programa Niterói Presente trouxe para a redução de roubos, o prefeito Rodrigo Neves ressalta que os índices de violência registrados no mês passado apontam para o melhor mês de dezembro dos últimos 15 anos. — Na área da 77ª DP, foram registrados dois roubos de veículos em dezembro de 2019, enquanto em dezembro de 2018 foram 46 ocorrências. E na Região Oceânica, área da 81ª DP, tivemos apenas seis casos de roubo de veículo, contra 22 em dezembro de 2018 — enfatiza.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)