RR: Prefeito de Pacaraima é acusado de agredir ex-vereador e mulheres em bar

Prefeito de Pacaraima é suspeito de agredir amigas durante noivado; Farmacêutica ficou com lesões no rosto - Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Prefeito de Pacaraima é suspeito de agredir amigas durante noivado; Farmacêutica ficou com lesões no rosto - Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

O prefeito de Pacaraima, ao Norte de Roraima, Juliano Torquato (Republicanos), está sendo acusado de agredir duas mulheres e um ex-vereador em um bar em Boa Vista, após se irritar com a presença do desafeto político no local.

De acordo com o noivo de uma das vítimas, Nivaldo Salviano Neto, de 42 anos, o prefeito agrediu as mulheres no rosto ao tentar atingir um ex-vereador do município, com quem ele tem desavenças políticas. O episódio ocorreu na madrugada do último domingo (21) em um bar no bairro Caçari, área nobre da capital.

O episódio foi registrado no 1° Distrito Policial e é investigado pela Polícia Civil.

Nivaldo e a professora, de 39 anos, vítima das agressões, haviam ficado noivos em um pedido de casamento surpresa, com a presença de amigos, incluindo a farmacêutica, de 47 anos, também vítima da agressão, e o ex-vereador Emmanuel Coelho, de 34 anos.

"Diante de tudo que aconteceu, sinto-me totalmente desrespeitada e envergonhada, desrespeitada por conta de um momento que deveria ter sido mágico", disse a professora.

A outra vítima acrescentou que sente envergonhada pelo hematoma no rosto.

"Simplesmente levei um murro na minha cara, no meu olho e eu estou aqui com meu olho roxo e muita vergonha", disse a farmacêutica.

Ainda de acordo com o noivo da professora, o prefeito foi até a mesa em que ele, as mulheres e o ex-vereador Emmanuel estavam sentados e deu um golpe de garrafa na cabeça da sua noiva e, em seguida, deu um soco na amiga.

A professora diz esperar justiça pelos atos do prefeito.

"Espero que não fique impune e espero também que de fato a Justiça seja feita", comentou.

A professora ficou com um inchaço na testa e a farmacêutica com o olho roxo. A intenção, conforme o noivo, era atingir o ex-vereador.

"Ele chegou e deu uma garrafada na cabeça da minha noiva e esmurrou a amiga dela, isso [aconteceu] para elas poderem sair do meio e ele agredir o Emmanuel. Bateu por maldade, bateu por covardia, né? Ele foi bem covarde para poder agredir o Emmanuel", disse ele.

Nivaldo, disse ainda que antes das agressões, o prefeito já havia abordado ele na porta do banheiro do bar. Na ocasião, Juliano relatou ter uma "rixa" com o ex-vereador e disse que tinha um "acerto para fazer" com ele.

"Fui ao banheiro e quando cheguei lá, vi que ele [o prefeito] me seguiu. Quando eu estava saindo ele já foi falando comigo: 'tu sabe com quem tu tá andando', e eu falei: 'prefeito Juliano, a gente está bebendo, estamos de boa e eu não quero confusão'. Ele disse: 'mas tu sabe com quem tu tá andando, eu tenho um acerto para fazer com ele'. Eu revidei: 'cara, ele está bebendo com a gente, deixa isso para lá', e ele me disse que por consideração a mim, ele deixaria isso para lá, mas depois teria o acerto com ele", explicou Nivaldo.

Poucas horas depois da conversa o prefeito agrediu as duas mulheres. No registro da ocorrência na delegacia, a professora relatou que tudo aconteceu após eles mudarem de mesa. Segundo ela, começou a chover e eles foram para uma área coberta no bar.

Devido isso, o grupo ficou mais próximo do prefeito, que "o tempo todo ficou encarando" o ex-vereador. Pouco tempo após a mudança de lugar, a mulher relatou ter sentido uma "pancada na testa."

Os seguranças do estabelecimento seguraram o prefeito e o colocaram para fora. Na confusão, a farmacêutica foi atingida com um soco no rosto e o ex-vereador, com um soco na nuca.

Após a confusão, segundo relato à Polícia Civil, a esposa do prefeito chegou a pedir desculpas das vítimas e disse ter tentado evitar a agressão, mas que não conseguiu.

Em nota, a Polícia Civil informou que as mulheres foram submetidas a exame de corpo de delito e o caso é investigado.