Ruas movimentadas nesta segunda-feira apesar de medida de isolamento e registros de alívio no trânsito

Luiz Ernesto Magalhães e Rafael Nascimento de Souza
População relaxa durante quarentena e movimento no trânsito aumenta nas ruas, como na Radial Oeste, sentido Centro

RIO - Em meio ao apelo das autoridades para as pessoas ficarem em casa, as ruas do Rio pareciam mais movimentadas na manhã desta segunda-feira, contrariando ao menos estatísticas oficiais. Uma equipe do GLOBO percorreu durante a manhã várias vias da cidade. No Aterro do Flamengo, o tráfego era intenso tanto no sentido Centro quanto em direção à Zona Sul, parecendo ser mais volumoso do que na semana passada. O mesmo aconteceu na Avenida Atlântica. Na Lagoa, houve congestionamento até o Túnel Rebouças devido a um acidente na Avenida Epitácio Pessoa que terminou com a morte de um motociclista. O tráfego também parecia mais intenso em bairros como Lapa, Tijuca, Maracanã, Saens Pena e Vila Isabel. Na Linha Vermelha e na Avenida Brasil, carros, caminhões e ônibus trafegavam a todo instante.

Apesar do trânsito parecer mais intenso na manhã desta segunda-feira em comparação ao mesmo dia nas semanas anteriores ao confinamento, isso não apareceu nos monitores do Centro de Operações da prefeitura (COR). Segundo informações do gráfico de trânsito do COR, a média de hoje não foi superior das semanas anteriores, sendo que em alguns períodos do rush matinal ficou até abaixo do registrado em períodos passados. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio) informou que não faz contagens pontuais para efeitos estatísticos nas vias da cidade que pudessem confirmar se alguma avenida ou rua em particular recebeu mais tráfego nesta manhã já que geralmente divulga dados consolidados mensais.

Às 7h, o registro foi de 1 km de trânsito. O volume é o mesmo da média das últimas três segundas-feiras. Já às 8h e às 9h, foi registrado zero quilômetro de trânsito na cidade. A média das últimas três segundas-feiras, nessas faixas de horário, foi de 5 km e 6 km, respectivamente. Já às 10h, havia 2 km de trânsito, com média de 9 km de congestionamento para esse horário, nas três últimas segundas-feiras.

Os dados do período das 6h não puderam ser captados por falhas de omunicação do sistema.

Confira o trânsito nesta segunda-feira comparado à média do mesmo dia nas últimas três semanas dividido por horário:

7h - 1km x 1km

8h - 0 km x 5 km

9h - 0km x 6km

10h - 2 km x 9 km

A Linha Amarela não faz balanços parciais do dia. A estimativa de fluxo de veículos do dia só estará disponível na terça-feira. Nas últimas segundas-feiras, as quedas foram de 55,4% (dia 30) e 51,8% (dia 23) ao longo de 24 horas, respectivamente. Os dados do BRT também só estarão disponíveis amanhã. Perguntada sobre o movimento das barcas em relação às segundas-feiras anteriores, a concessionária se limitou a informar que nesta manhã houve uma queda de 75% no número de passageiros.

A Supervia ainda não tem dados consolidados desta manhã. No dia 30, a queda foi de 69,6%. Desde o início da pandemia, a concessionária estima ter deixado de transportar 6 milhões de passageiros. O Metrô ainda não divulgou informações.

Movimentação também a pé

Muitos cariocas e turistas estão desrespeitando o pedido das autoridades para que fiquem em casa. No final de semana foi possível observar que muitos saíram de suas casas e decidiram correr, caminhar e passear com seus bichinhos de estimação. Na manhã desta segunda-feira não foi diferente. No Leblon, um dos bairros mais afetado pelo Coronavírus, as pessoas passeavam e caminhavam sem ser preocupar com a doença.

Em todo o Aterro do Flamengo, pessoas iam e vinham fazendo caminhada e exercícios nas barras de ferro instaladas. Em Copacabana, a orla estava vazia. No entanto, a equipe do GLOBO flagrou pessoas correndo e até na areia — indo contra tudo o que as autoridades estão pedindo.

Em Ipanema pessoas pedalavam, caminhavam e passeavam com seus animais. Um carro da Polícia Militar estava parado na Rua Joana Angélica. No entanto, não inibia o acesso à areia. A mesma cena foi vista em Ipanema. Uma viatura da PM estava estacionada na Rua Aristides Espíndola e não impediu que banhistas entrassem no mar no Posto 12.Na Lagoa, o cenário não era diferente, com pessoas fazendo exercícios e sentadas.

Praia fechada

Para impedir aglomerações nas praias em razão das recomendações para o combate ao coronavírus, a Polícia Militar do Rio chegou a gradear a orla da Zona Sul na manhã desse domingo. No entanto, menos de um hora depois, a PM retirou as grades. A ação começou no Leme e em seguida seria realizada nas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon. A previsão era de que nesta segunda as praias do Flamengo e Botafogo também estivessem gradeadas.

Segundo os agentes, seriam dois mil gradis, a mesma quantidade usada no carnaval. A PM explicou que o gradeamento trata-se de um "projeto piloto que se encerrou antes do meio-dia e será reavaliado".