Rubiales defende Piqué e desabafa: "Passei mal porque as pessoas foram prejudicadas"

·2 min de leitura
Luis Rubiales concedeu entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira. Foto: Irina R. Hipolito/Europa Press via Getty Images
Luis Rubiales concedeu entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira. Foto: Irina R. Hipolito/Europa Press via Getty Images

O futebol espanhol continua em turbulência depois que o jornal El Confidencial publicou uma série de áudios privados entre Luis Rubiales e Gerard Piqué nos quais, entre outras coisas, se referem à negociação de um acordo milionário entre a Real Federação Espanhola e a Arábia Saudita para sediar a Supercopa da Espanha.

O único que ainda não havia falado era Rubiales, que finalmente convocou uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira para dar sua versão dos acontecimentos. Além de defender Piqué e esclarecer novamente que não recebeu comissões por sua participação, respondeu a Diego Simeone, um dos que se referiram ao assunto, e fez um pedido desesperado à imprensa pelo vazamento dos áudios: “Foram roubados. Há um crime aqui."

Leia também:

"A primeira coisa que quero dizer é que estou indignado com as falsidades e estou muito zangado porque as falsidades estão recebendo importância e não que as informações tenham sido roubadas ilegalmente de mim. Quero dizer por que estou aqui hoje e não antes. Era importante fazer um acordo com a Arábia Saudita para que eles nos autorizassem a falar, porque temos um acordo de confidencialidade. Muitas coisas foram ditas e pouca ou nenhuma é verdade. Estarei aqui até que o último de vocês pergunte", começou.

"Conversamos com outros países, China, Catar... também da África. Quando eles vêm com a possibilidade de negócios, eles são claramente informados de que não terão uma relação econômica com a RFEF. A RFEF não pagou nem pagou nem ele vai pagar um único euro a ninguém. Estamos falando de 400 milhões de euros para o futebol espanhol. Não há muito mais a dizer aqui. Além disso, isso foi votado sem nenhum voto contra. Este acordo foi votado na Assembleia", continuou ele.

"Peço que falem do crime que cometeram, que quase não se fala. Quem se beneficia com isso? Não bebo álcool, não fumo... Mas não garanto que amanhã possam colocar um saco de cocaína no meu porta-malas, passei mal porque as pessoas foram prejudicadas”, desabafou.

Para encerrar, especificamente sobre as críticas que recebeu de Simeone após o vazamento, ele disse: "Entendo perfeitamente a coisa do Cholo. Admiro-o tanto quanto admiro o Atlético. Se eu estivesse na situação dele, também teria ficado chocado. Estou aberto a explicar a situação. Em relação ao salário, expliquei-me claramente", finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos