Rui Costa deve definir futuro de meia-atacante até fevereiro; salário vira entrave para Atlético

Gabrielle Junqueira

​O meia-atacante Hyuri se reapresentou ao ​Atlético-MG no início do mês junto com o restante do elenco, mas o atleta já sabia que não iria fazer parte do plantel do técnico Rafael Dudamel Mesmo assim, vai diariamente até a Cidade do Galo. O retorno ao clube alvinegro é por força contratual, e ele busca um novo destino para a temporada. O Galo ainda não conseguiu uma nova equipe devido o salário do jogador.

De acordo com as informações do site ​Globo Esporte, quando o meia-atacante foi emprestado ao Sport, tinha cerca de 80% dos salários bancados ainda pelo Alvinegro. Mas, nesta temporada o Atlético não pretende manter a mesma situação. O Galo visa dividir igualmente os vencimentos do atleta para o clube que se interessar pelo empréstimo.

Hyuri

Sendo assim, o staff do atleta e o clube mineiro, desejam fechar alguma negociação com o mercado chinês, visto que Hyuri teve duas passagens: Guizhou Renhe e Chongqing Lifan. No entanto, a janela de transferências da China já está aberta desde o início de janeiro e irá fechar no fim de fevereiro. Neste sábado (25), o jogador renovou as esperanças com relação a voltar para o país asiático, já que após o ano-novo chinês o mercado começar a ficar agitado.

Além de Hyuri, o Atlético precisa resolver a situação do: atacante Clayton, volante Lucas Cândido e lateral-esquerdo Mansur. Todos estão fora dos planos de Dudamel. No caso do atacante, por ter sido um alto investimento, R$ 2,5 milhões, não haverá rescisão contratual. Cenário não descartado para o volante, o lateral-esquerdo e até mesmo o meia-atacante, que tem contrato até o final de 2020. 


Créditos foto de capa: Bruno Cantini/Atlético