Rússia amplia presença de militares na fronteira com a Finlândia

Sergei Shoigu, ministro da Defesa da Rússia, afirmou que defesa da fronteira com a Finlândia será fortalecida (Foto: ALEXANDER NEMENOV/AFP via Getty Images)
Sergei Shoigu, ministro da Defesa da Rússia, afirmou que defesa da fronteira com a Finlândia será fortalecida (Foto: ALEXANDER NEMENOV/AFP via Getty Images)

Resumo da notícia

  • Rússia vai fortalecer forças militares na fronteira com a Finlândia

  • Ação acontece após o país pedir autorização para entrar na Otan

  • Além da Filândia, Suécia também tenta integrar o grupo

Com o anúncio de que a Finlândia entrou com o pedido para integrar a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), a tensão na fronteira com a Rússia aumentou. Sergei Shoigu, ministro da Defesa russo, anunciou nesta sexta-feira (20) que, até o fim de 2022, a presença de forças da Rússia na fronteira irá aumentar.

“Até o final do ano, 12 unidades e divisões militares serão formadas no Distrito Militar do Oeste”, disse Shoigu. A fronteira entre Rússia e Finlândia tem aproximadamente 1.300 km.

“As medidas organizacionais em curso estão sincronizadas com o fornecimento de armas e equipamentos militares modernos às tropas”, explicou o ministro, durante reunião do conselho militar russo. Sergeri Shoigu justificou o fortalecimento das tropas sob a ideia de que houve um “crescimento de ameaças militares perto das fronteiras russas”.

Shoigu afirmou ainda que nos últimos oito anos cresceu em 15 vezes o número de bombardeios estratégicos dos Estados Unidos na Europa. “As visitas ao Mar Báltico por navios americanos com mísseis guiados tornaram-se sistemáticas”, afirmou, ao justificar o aumento das tropas nas fronteiras com a Finlândia.

Além da Finlândia, a Suécia também entrou com pedido para integrar a Otan. A Rússia considera que o fortalecimento do grupo é uma ameaça direta do ocidente contra o país, governado por Vladimir Putin.

A ideia de Suécia e Finlândia, historicamente países neutros, de entrar na Otan acontece após a Rússia invadir a Ucrânia. A guerra começou em 24 de fevereiro e persiste até agora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos