Russia bombardeia Kiev pela 1ª vez desde abril enquanto a batalha continua no leste

Fumaça sobe após ataque russo em Kiev, na Ucrânia.

Por Natalia Zinets e Pavel Polityuk

KIEV (Reuters) - A Rússia atacou a capital da Ucrânia, Kiev, com mísseis neste domingo pela primeira vez em mais de um mês, enquanto autoridades ucranianas disseram que retomaram metade da cidade de Sievierodonetsk no principal campo de batalha no leste.

Foi possível ver a fumaça escura a muitos quilômetros de distância após o ataque a dois distritos periféricos de Kiev. A Ucrânia disse que a explosão atingiu obras de reparo de vagões; Moscou disse que destruiu tanques enviados por países do Leste Europeu para a Ucrânia.

Pelo menos uma pessoa foi hospitalizada, embora não haja relatos imediatos de mortes. O ataque foi um lembrete da guerra em uma região onde a vida voltou praticamente ao normal desde que as forças russas foram expulsas de seus arredores em março.

"Os ataques de mísseis de hoje têm apenas um objetivo - matar o máximo possível", tuitou o assessor presidencial ucraniano Mikhailo Podolyak.

A Ucrânia disse que a Rússia fez o ataque com mísseis de longo alcance, disparados de bombardeiros pesados localizados em regiões tão distantes quanto o Mar Cáspio - uma arma muito mais valiosa do que os tanques que a Rússia afirmou ter atingido.

A operadora de energia nuclear da Ucrânia disse que um míssil de cruzeiro russo passou "criticamente baixo" pela segunda maior usina nuclear do país.

O ataque deste domingo foi o primeiro em Kiev desde o fim de abril. Nas últimas semanas, a Rússia concentrou seus ataques principalmente nas linhas de frente no leste e no sul, embora tenha atacado outros lugares para degradar a infraestrutura militar da Ucrânia e bloquear remessas de armas ocidentais.

Na cidade industrial oriental de Sievierodonetsk, ocorre uma das maiores batalhas terrestres, em uma tentativa russa de capturar uma das duas províncias orientais que reivindica em nome de representantes separatistas.

Após dias recuando constantemente, a Ucrânia montou um contra-ataque na cidade, que, segundo as autoridades, pegou os russos de surpresa. Depois de recapturar uma parte da cidade, as forças ucranianas agora controlam metade dela e continuam a empurrar os russos para trás, disse Serhiy Gaidai, governador da região de Luhansk, onde está Sievierodonetsk.

As alegações não puderam ser verificadas de forma independente. Ambos os lados dizem que infligiram enormes baixas em Sievierodonetsk.

Em outro sinal de que a Ucrânia conteve o avanço russo, Gaidai disse que as retiradas foram retomadas na parte ucraniana da província de Luhansk no domingo e 98 pessoas escaparam.

As forças russas tentam há semanas cortar a estrada principal para cercar as tropas ucranianas.

O Ministério da Defesa do Reino Unido disse que os contra-ataques ucranianos em Sievierodonetsk nas últimas horas devem enfraquecer qualquer impulso que a Rússia tenha conquistado, já que estava destacando combatentes separatistas mal equipados na cidade para limitar o risco às suas forças regulares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos