Rússia confirma anexação de territórios da Ucrânia

Presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: Sputnik/Grigory Sysoyev/Kremlin via REUTERS)
Presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: Sputnik/Grigory Sysoyev/Kremlin via REUTERS)

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou nesta sexta-feira (30) a anexação de quatro regiões do território ucraniano à Rússia.

Moscou, portanto, declarou que as regiões ucranianas de Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhia agora fazem parte da Rússia. As áreas representam cerca de 15% do território total da Ucrânia

De acordo com informações da CNN Internacional, esse movimento do mandatário russo intensifica a guerra entre os dois países, além de dar “uma nova imprevisível fase do confronto”.

“Existem quatro novas regiões russas. As pessoas que vivem nessas quatro regiões estão se tornando nossos cidadãos para sempre”, falou Putin durante a cerimônia feita para a anexação.

De acordo com a agência de notícias Reuters, Putin disse também, durante pronunciamento no Kremlin, que a anexação de territórios do país vizinho “é a vontade de milhões de pessoas”. Elites políticas da Rússia participaram do evento.

Segundo o jornal britânico The Guardian, no discurso, Putin fez novas ameaças nucleares, prometendo “proteger” as terras recém-anexadas “com todas as forças e meios à nossa disposição”.

Reação

No Twitter, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, criticou o movimento e foi enfática ao dizer que a anexação ilegal proclamada por Putin "não mudará nada".

"Todos os territórios ocupados ilegalmente por invasores russos são terras ucranianas e sempre farão parte desta nação soberana", afirmou ela.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.