Rússia é acusada de isolar Ucrânia sem internet antes da invasão

Russian President Vladimir Putin arrives to watch the Victory Day military parade at Red Square in central Moscow on May 9, 2022.
Ataque deixou a rede de internet via satélite KA-SAT, da Viasat, fora do ar

(Getty Images)

  • Rússia é acusada de derrubar internet da Ucrânia antes de invadi-la;

  • País teria comandado um ataque cibernético de grade escala momentos antes do começo da guerra;

  • Denúncia foi feita por autoridades dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e União Europeia.

A Rússia está sendo acusada de comandar um ataque cibernético de grade escala para derrubar a internet da Ucrânia antes de invadi-la em fevereiro deste ano. A denúncia foi feita nesta terça-feira (10) pelas autoridades dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e União Europeia.

A ação de hackers ligados ao governo teria começado em janeiro e durado várias semanas, aponta o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken. O ciberataque mais forte seria o de 24 de fevereiro, no dia da invasão, que deixou a rede de internet via satélite KA-SAT, da Viasat, fora do ar. As informações são do TecMundo.

O objetivo, segundo Blinken, seria cortar a comunicação entre os integrantes das Forças Armadas da Ucrânia. O malware usado pelos hackers afetou diversos modens, que precisaram ser substituídos pela operadora.

Na época, outras nações europeias também foram afetadas; milhares de usuários ficaram, temporariamente, sem acesso à internet, incluindo empresas e prestadoras de serviços, conforme divulgado pela Reuters.

A Viasat continua contribuindo com as entidades governamentais na investigação do caso. De acordo com a agência de notícias, outros ciberataques aconteceram em março, mas não foram confirmados pela operadora.

Starlink sob ataque

Dois dias após a invasão russa, o bilionário Elon Musk nunciou no Twitter que implementou satélites da Starlink na Ucrânia, permitindo que a conexão de internet fosse retomada no país. “O serviço Starlink agora está ativo na Ucrânia”, publicou. “Mais terminais a caminho”.

A empreitada, no entanto, fez com que a empresa virasse alvo do país rival, o que fez com que o empresário retornasse às redes sociais para alertar a população ucraniana. "Aviso importante: A Starlink é o único sistema de comunicação não russo que ainda funciona em algumas partes da Ucrânia, então a probabilidade de ser alvo é alta. Por favor, use com cuidado", postou.

Ele ainda aconselhou que os usuários ativem o sistema “apenas quando necessário” e que coloquem as antenas “o mais longe possível das pessoas”. Musk também orientou a camuflar o dispositivo para evitar a detecção visual.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos