Rússia impõe sanções contra 61 autoridades norte-americanas

Medida impede a entrada dos sancionados na Rússia
Medida impede a entrada dos sancionados na Rússia

(Mikhail Metzel / SPUTNIK / AFP) (Photo by MIKHAIL METZEL/SPUTNIK/AFP via Getty Images)

  • Rússia impõe sanções a 61 autoridades norte-americanas de setores públicos e privados;

  • Medida é uma resposta às punições impostas pelo país rival desde a invasão da Ucrânia;

  • Dentre os afetados, estão Janet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA, e o CEO da Netflix.

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia impôs, nesta segunda-feira (6), sanções a 61 autoridades dos setores públicos e privados dos Estados Unidos. A medida é uma resposta “às crescentes sanções dos EUA contra figuras políticas e públicas russas, bem como representantes de empresas domésticas”, disse em nota.

Dentre os alvos, está a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, a secretária de Energia, Jennifer Granholm, e a representante de Comércio da Casa Branca, Katherine Tai. A lista ainda conta com nomes como:

  • Adena Friedman, CEO da Nasdaq;

  • Reed Hastings, CEO da Netflix;

  • Brian Deese, assessor econômico da Casa Branca;

  • Edward Bastian, CEO da Delta Air Lines;

  • Jeffrey Sprecher, diretor da Bolsa de Valores de Nova York;

  • Paul Taylor, presidente e CEO do Fitch Group.

Os sancionados estão impedidos de entrar na Rússia. Em março, o país já havia bloqueado 13 funcionários e figuras norte-americanas, como o presidente Joe Biden e o secretário de Estado, Antony Blinken.

Segundo o Ministério russo, esta nova leva de sanções inclui “chefes das principais corporações do complexo militar-industrial, plataformas de mídia e agências de classificação de risco, aviação e construção naval, bem como funcionários individuais do Departamento de Estado dos EUA envolvidos no plantio de ataques cibernéticos russos 'maliciosos'”.

EUA acusa Rússia de intimidação

Nesta mesma segunda-feira (6), Estados Unidos acusaram a Rússia de "intimidar" os correspondentes de meios americanos em Moscou, convocados pela diplomacia russa, que ameaçou com represálias devido às sanções americanas contra a invasão da Ucrânia.

"O Ministério das Relações Exteriores russo convocou seus colegas para 'lhes explicar as consequências da linha hostil de seu governo na esfera midiática'", declarou aos jornalistas o porta-voz do Departamento de Estado americano, Ned Price. "Sejamos claros, o Kremlin realiza um verdadeiro ataque contra a liberdade de expressão, o acesso à informação e à verdade".

A porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, ameaçou no fim de maio expulsar meios e jornalistas ocidentais se a plataforma YouTube bloqueasse suas entrevistas semanais, como havia feito anteriormente. Na sexta-feira, Zakharova acusou novamente Washington de "reprimir os meios russos" nos Estados Unidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos