Russo é encontrado morto em Londres em circunstâncias inexplicadas

AP Photo / Eva Ryan

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nikolai  Glushkov, um exilado russo e parceiro de negócios do oligarca e opositor do Kremlin Boris Berezovski, foi encontrado morto na segunda-feira perto de Londres em circunstâncias inexplicadas, informaram nesta terça-feira (13) as imprensas britânica e russa.

A polícia antiterrorista britânica está conduzindo a investigação "por precaução, por causa das ligações que o homem teria", indicou em um comunicado, sem fornecer sua identidade.

De acordo com o jornal The Guardian, trata-se de Glushkov, de 68 anos, um russo que recebeu asilo político no Reino Unido em 2010. 

Segundo o jornal russo Kommersant, que cita uma filha de Glushkov, Natalia, seu corpo tinha sinais de estrangulamento.

A morte acontece em plena escalada diplomática entre Londres e Moscou em razão da tentativa de assassinato de um ex-espião russo na cidade inglesa de Salisbury, um ataque atribuído por Londres à Rússia.

A polícia confirmou que encontrou uma pessoa morta na segunda à noite em sua residência em New Malden, um subúrbio de Londres, e que as causas de sua morte são desconhecidas no momento. 

Ex-diretor da companhia aérea russa Aeroflot nos anos 1990, Glushkov foi condenado a oito anos de prisão e ao pagamento de US$ 20 milhões pela Justiça russa em 2017 por desvio de fundos da empresa.

A denúncia de corrupção foi lançada em 1999, quando Glushkov fazia parte dos parceiros de Boris Berezovski.

O ex-oligarca russo que se tornou opositor ao Kremlin foi encontrado enforcado em sua residência perto de Londres em março de 2013. Na época, Gluchkov questionou a tese de suicídio.