Russomanno usa vídeo de detenção em Araraquara para criticar gestão de Covas na pandemia

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO - SP - BRASIL - 16.09.2020 - Celso Russomanno.  (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO - SP - BRASIL - 16.09.2020 - Celso Russomanno. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) publicou um trecho de vídeo de ação da Guarda Civil Metropolitana em Araraquara (282 km de São Paulo) para criticar a atuação do prefeito Bruno Covas (PSDB) durante a pandemia.

Em propaganda divulgada nas suas redes sociais nesta terça-feira (3), a campanha de Russomanno colocou uma tela dividida.

Metade dela exibe um vídeo em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diz: "o prefeito que vem para reeleição. Vocês têm que ver como vocês foram tratados na pandemia, se vão votar nele de novo ou não. Quase todo mundo mandou ficar em casa e ameaçou, não é isso? Vocês querem isso? Então não pode votar nesse cara".

Na outra metade, o vídeo mostra fotos de Bruno Covas e do governador João Doria (PSDB-SP). Quando Bolsonaro fala em "como vocês foram tratados na pandemia", o vídeo exibe imagens de uma mulher sendo detida por guardas municipais enquanto esperneia.

Essa ação aconteceu em abril, em Araraquara, quando a mulher reagiu a uma abordagem por descumprir decreto municipal de quarentena do coronavírus e mordeu o braço de uma das guardas.

A ação em Araraquara já foi usada por Bolsonaro e seus apoiadores como exemplo de supostos abusos cometidos por prefeitos e governadores contra a população durante a pandemia da Covid-19.

Na reunião ministerial de 22 de abril, o presidente a citou para criticar o então ministro da Justiça, Sergio Moro.

Em maio, conforme divulgou a coluna de Rubens Valente, do UOL, a Justiça decidiu arquivar as acusações de abuso de autoridade relacionadas ao caso e acolheu denúncia do Ministério Público contra a mulher por supostos desacato, resistência, desobediência e infração de medida sanitária preventiva.