São Bernardo do Campo dispersa 1.500 pessoas em aglomerações no final de semana

RENATO FONTES
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais de 1.500 pessoas que participavam de eventos clandestinos foram dispersadas após ação dos guardas municipais e órgãos de fiscalização de São Bernardo do Campo (ABC) entre sábado (3) e domingo (4). O balanço foi divulgado na tarde desta segunda-feira (5). De acordo com a prefeitura, gestão Orlando Morando (PSDB), foram dispersados 27 pontos de aglomeração em vias públicas da cidade, incluindo dois pancadões no domingo. O primeiro deles ocorreu no Jardim Calux, onde cerca de 400 jovens, todos sem seguir nenhum protocolo de saúde contra a Covid-19, como uso de máscaras e distanciamento social, foram flagrados bloqueando a via durante a festa irregular. Os participantes do evento foram abordados e dispersados. Outras 150 pessoas foram também flagradas em outra festa, desta vez no Jardim Limpão. Com a chegada dos agentes, todos foram retirados do local. A operação resultou ainda no encerramento das atividades de 38 estabelecimentos comerciais por desrespeito aos decretos municipais vigentes durante o Fase Emergencial. Os locais foram fechados, sem resistência, após orientação dos profissionais de fiscalização, diz a nota da prefeitura. Desde o dia 27 de fevereiro, o município determinou toque de recolher das 22h às 4h, como forma de evitar aglomerações e eventos clandestinos para conter o contágio acelerado do Coronavírus. De acordo com o secretário de Segurança Urbana de São Bernardo, Coronel Carlos Alberto dos Santos, o encerramento das festas é resultado do reforço das ações da GCM em todo o território da cidade. "Todo o efetivo da Guarda Civil Municipal tem atuado diariamente para combater ocorrências de aglomeração em meio à pandemia. Um trabalho que tem sido intensificado a cada dia com objetivo de garantir a segurança e a preservação da saúde de nossa população", declarou em nota.