São Paulo abre 2 a 0, mas cede empate ao Furacão e é eliminado

Guilherme comemora um dos gols do Furacão (Marcelo Zambrana/Agif/Gazeta Press)

O São Paulo, vice-campeão em 2000, viu o sonho de conquistar o inédito título da Copa do Brasil em 2018 acabar durante a noite desta quinta-feira, deixando o Morumbi vaiado. Após abrir 2 a 0 ainda no primeiro tempo, o Tricolor cedeu o empate ao Atlético-PR por 2 a 2 e deixou a classificação escapar de suas mãos, sendo eliminado pelo segundo ano consecutivo na quarta fase da Copa do Brasil.

Com o resultado, o placar agregado do confronto terminou em 3 a 2 para o Furacão, que venceu o jogo de ida por 2 a 1, na Arena da Baixada. Agora, São Paulo agora foca no Campeonato Brasileiro e na Copa Sul-Americana, competições que lhe restam na temporada. O seu próximo compromisso será o duelo com o Ceará, neste domingo, às 16 horas (de Brasília), pela segunda rodada da Série A.

Já o Furacão conhecerá seu adversário nas oitavas de final da Copa do Brasil em sorteio a ser realizado na manhã desta sexta-feira, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Entre seus possíveis rivais estão todos os clubes que disputam a Libertadores – Palmeiras, Corinthians, Santos, Grêmio, Vasco, Cruzeiro e Flamengo. Pelo Brasileirão, o clube paranaense volta a campo no domingo, às 19 horas, para enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre.

O Jogo – Empurrado por mais de 27 mil pessoas, o São Paulo começou pressionando e criou a sua primeira grande chance de gol logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Régis cruzou da direita e encontrou Valdívia livre na segunda trave. O meia-atacante ajeitou de cabeça para Petros que, da entrada da pequena área, pegou mal na bola e mandou para fora.

Apesar de ter mais posse, como é de praxe nos times de Fernando Diniz, os visitantes não conseguiam ameaçar a meta de Sidão. O Tricolor, por sua vez, aproveitou para abrir o placar com um golaço. Aos 25 minutos, Nenê recebeu na área e, pressionado pelo zagueiro, tocou para trás, de calcanhar. A bola foi para Valdívia, que girou sobre o marcador e bateu forte no ângulo, sem chances para o goleiro Santos.

Melhor na partida, o time da casa não diminuiu o ímpeto e ampliou a sua vantagem aos 34 minutos, quando Nenê arriscou chute da intermediária e contou com desvio de Thiago Heleno, deixando o arqueiro rival ‘vendido’ no lance.

Com esse resultado, o São Paulo já eliminava a necessidade da disputa por pênaltis. O Furacão, contudo, diminuiu o prejuízo ainda antes do intervalo, graças ao pênalti cometido por Liziero, que encostou a mão na bola ao dar um carrinho dentro da área. Na cobrança, Guilherme deslocou Sidão e recolocou os paranaenses na disputa.

O gol animou o Atlético-PR, que voltou com uma postura mais agressiva para a etapa complementar. Tanto que, aos cinco minutos, empatou a partida após Pablo tabela pela esquerda e cruzar rasteiro para Matheus Rossetto só empurrar para a rede, recuperando a vantagem do Furacão.

Em mais uma falha de posicionamento da zaga tricolor, a equipe rubro-negra quase conseguiu a virada pouco depois. Após cruzamento de Rossetto pela direita, Carleto apareceu livre do outro lado. O meia bateu de primeira e carimbou a trave direita de Sidão, deixando a torcida ainda mais apreensiva no Morumbi.

Diego Aguirre, então, sacou o apagado Tréllez para a entrada de Diego Souza. E o São Paulo melhorou. Em sua primeira ação no jogo, o camisa 9 partiu em velocidade pelo meio e acionou Nenê na direita. O meia cortou para o meia e bateu com efeito, exigindo grande defesa de Santos, que mandou para escanteio com a ponta dos dedos.

Em sua última cartada, o treinador uruguaio colocou Cueva e Lucas Fernandes nas vagas de Valdívia e Petros. O São Paulo tentou pressionar na base do abafa, mas os visitantes se seguraram bem, garantiram o empate e se classificaram às oitavas de final da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 2 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 19 de abril de 2018, quinta-feira

Horário: 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Assistentes: Rodrigo Figueiredo Correa e Thiago Henrique Neto (ambos do RJ)

Público: 27.812 torcedores

Renda: R$ 850.813,00

Cartão Amarelo: Lucho González, Pavez e Guilherme (Atlético-PR)

Cartão Vermelho: –

Gols:

SÃO PAULO: Valdívia, aos 25, e Nenê, aos 34 minutos do primeiro tempo

ATLÉTICO-PR: Guilherme, aos 40 minutos do primeiro tempo, e Matheus Rossetto, aos cinco minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Sidão; Éder Militão, Arboleda e Rodrigo Caio; Régis, Jucilei, Petros (Lucas Fernandes), Valdívia (Cueva) e Liziero; Nenê e Tréllez (Diego Souza)

Técnico: Diego Aguirre

ATLÉTICO-PR: Santos; Pavez (Zé Ivaldo), Paulo André e Thiago Heleno; Matheus Rossetto (Deivid), Camacho, Lucho González e Carleto; Nikão, Guilherme e Pablo

Técnico: Fernando Diniz