São Paulo: agosto de 2021 termina com o dobro de focos de incêndios florestais do que no ano passado

·1 minuto de leitura

RIO - O estado de São Paulo registrou, em 2021, o dobro de focos de incêndios florestais do que no mesmo mês do ano passado. Dados do portal Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mostram que foram 2.277 focos contra 1.111 em 2020.

Este foi o segundo mês de agosto com mais focos da história do estado, só abaixo de 2010, quando houve 2.444 pontos de chamas localizados pelos satélites do instituto.

Segundo a Secretaria Ambiental do estado, 9 em cada 10 incêndios florestais são provocados por ações humanas, entre elas, a queda de balões.

Contribuíram para a propagação das chamas as temperaturas baixas e a falta de chuva. Ainda de acordo com a secretaria, o clima seco resseca as folhas e favorece a propagação de queimadas destruindo a vegetação e matando animais.

O caso mais dramático, em agosto deste ano, foi a queimada do Parque estadual de Juquery, em Franco da Rocha.

Foram mais de 1.600 hectares do parque já foram destruídos - 80% de toda a área segundo a Prefeitura de Franco da Rocha. Criado em 1993, o parque é o último fragmento de cerrado da região metropolitana.

A dimensão da queimada foi tão grande que moradores de diversos bairros da capital, principalmente na Zona Norte, sentiram os efeitos do incêndio, com fuligem da queimada se espalhando por uma vasta área na cidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos