São Paulo amplia vacinação contra Covid-19 para quem tem mais de 30 anos com comorbidade

·2 minuto de leitura
EMBU DAS ARTES, SP, 01/06/2021: VACINAÇÃO-COVID-SP - As cidades da Grande São Paulo estão antecipando a vacinação contra a Covid-19 de alguns grupos e faixas etárias. Em Embu das Artes, por exemplo, a prefeitura já esta vacinando pessoas a partir dos 50 anos. Geral do Centro de Vacinação Embuense. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
EMBU DAS ARTES, SP, 01/06/2021: VACINAÇÃO-COVID-SP - As cidades da Grande São Paulo estão antecipando a vacinação contra a Covid-19 de alguns grupos e faixas etárias. Em Embu das Artes, por exemplo, a prefeitura já esta vacinando pessoas a partir dos 50 anos. Geral do Centro de Vacinação Embuense. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo de São Paulo decidiu ampliar a vacinação contra a Covid-19 para pessoas com comorbidades e deficiências permanentes que têm entre 30 e 39 anos. A imunização deste grupo, que soma 1,2 milhão de pessoas no estado, começa nesta quarta-feira (2).

Atualmente, o calendário de vacinação no estado prevê a imunização apenas para quem tem comorbidades e deficiência permanentes com mais de 40 anos. A vacinação deste grupo começou na sexta-feira passada na cidade de São Paulo.

Para tomar a vacina, a pessoa precisa comprovar a comorbidade por meio de receita de medicamentos, relatório, exames ou prescrição médica. Os cadastros previamente existentes em UBSs também podem ser utilizados.

Já as pessoas com deficiência permanente precisam apresentar o comprovante do recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada). Veja aqui como comprovar a comorbidade para tomar a vacina contra a Covid-19.

A Secretaria Estadual de Saúde recomenda que antes de ir ao posto a pessoa faça o cadastro no site Vacina Já, criado pelo governo do estado para agilizar a imunização. É necessário inserir nome completo, CPF, endereço completo, telefone e data de nascimento para concluir o cadastro.

Nem todas as comorbidades foram incluídas pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde, seguido pelos programas estadual e municipal de imunizações. Veja a relação das doenças crônicas consideradas comorbidade para a Covid-19.

Relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

- Doenças Cardiovasculares

- Insuficiência cardíaca (IC)

- Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar

- Cardiopatia hipertensiva

- Síndromes coronarianas

- Valvopatias

- Miocardiopatias e Pericardiopatias

- Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas

- Arritmias cardíacas

- Cardiopatias congênitas no adulto

- Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

- Diabetes mellitus

- Pneumopatias crônicas graves

- Hipertensão arterial resistente (HAR)

- Hipertensão arterial - estágio 3

- Hipertensão arterial - estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade

- Doença Cerebrovascular

- Doença renal crônica

- Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer)

- Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)

- Obesidade mórbida

- Cirrose hepática