São Paulo empata com o Botafogo e se livra do rebaixamento para a Série B

1 / 1
3 - Após empate com Botafogo, Dorival diz que diretoria conduzirá caso de Cueva

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O São Paulo empatou em 0 a 0 com o Botafogo, neste domingo (15), no Pacaembu, e escapou do rebaixamento para a Série B. O time ainda não alcançou os 47 pontos estipulados pelo técnico Dorival Júnior, mas se safou graças aos resultados dos seus rivais diretos.

A equipe tricolor está na 12ª colocação, com 46 pontos. O Vitória, que empatou em 1 a 1 com o Cruzeiro, é o primeiro time fora da degola, com 40.

A Ponte Preta tem um jogo a menos e abre a zona do rebaixamento, com 39. Os campineiros enfrentam o Fluminense nesta segunda (20), no Maracanã.

Para alcançar o São Paulo, o Vitória teria de vencer os seus dois próximos jogos e torcer para ter um saldo de gols superior ao do time paulista. Já a Ponte Preta precisaria superar o Fluminense e conquistar uma vitória e um empate nas últimas duas rodadas. Nos dois cenários o São Paulo teria de perder os dois jogos que lhe restam no Brasileiro.

Na próxima rodada, no entanto, Ponte Preta e Vitória irão se enfrentar no Moisés Lucarelli. O confronto direto elimina as chances de as duas equipes ficarem à frente do São Paulo. O Sport, com 39 pontos, na 18ª posição, também não consegue mais ultrapassar o time tricolor.

O São Paulo se livra do rebaixamento após ficar 14 rodadas entre os quatro últimos colocados. O Atlético-GO, que empatou em 1 a 1 com a Chapecoense, neste domingo, foi o primeiro time a cair para a Série B.

O empate com o Botafogo fez o São Paulo chegar ao quarto jogo consecutivo sem vitória. O resultado torna mais difícil a conquista de uma vaga na Libertadores na atual formatação do Brasileiro.

O time poderá igualar nas duas últimas rodadas os 52 pontos do Botafogo, sétimo colocado, mas dependeria do saldo de gols para ultrapassar os cariocas.

Caso o Grêmio conquiste a Libertadores e o Flamengo fique com o título da Sul-Americana, o Brasileiro poderá ter um G-9, com vagas para mais duas equipes no torneio continental de 2018. Neste caso, os times campeões devem terminar a competição entre os sete primeiros colocados.

O meia Cueva foi a novidade do São Paulo no banco de reservas. O peruano classificou seu país para a Copa do Mundo na quarta (15), com uma vitória contra a Nova Zelândia, e não se reapresentou para o treino de sábado.

O São Paulo chegou a divulgar que o peruano desfalcaria a equipe, mas Dorival decidiu levar o meia para o jogo. A diretoria multará o jogador pelo atraso.

O setor intermediário do São Paulo também esteve desfalcado de Hernanes, suspenso, e de Maicosuel, machucado. Para a criação, Dorival optou pela escalação dos garotos Shaylon e Lucas Fernandes. O zagueiro Bruno Alves substituiu o suspenso Arboleda na defesa.

Antes do primeiro minuto de jogo, Bruno Alves não dominou uma bola na entrada da área e permitiu que Rodrigo Pimpão finalizasse para defesa de Sidão. Foi a única chance criada pelo Botafogo na etapa inicial.

Já o São Paulo apostou na troca de passes entre os meias para tentar furar a defesa rival. Shaylon e Lucas Fernandes foram de longe os jogadores mais acionados, mas não conseguiram abastecer o ataque formado por Marcos Guilherme e Pratto.

A principal chance dos são-paulinos no primeiro tempo saiu de um chute de longe de Shaylon, aos 19 minutos. O goleiro Gatito Fernández alcançou o ângulo e espalmou a bola para escanteio.

Dorival não promoveu alterações para o segundo tempo, o que levou a torcida gritar o nome de Cueva logo aos dois minutos. Com o Botafogo melhor em campo, o treinador decidiu colocar o peruano no lugar de Lucas Fernandes, aos 14 minutos.

Pratto, aos 15, teve a melhor chance da partida nos pés. O argentino recebeu passe em profundidade de Edimar e acertou a trave ao tentar deslocar o goleiro Gatito.

Aos 22 minutos, Dorival trocou Shaylou por Júnior Tavares, mas não conseguiu melhorar o time. O Botafogo, aos 26, assustou com finalização de Valencia. Sidão defendeu e Rodrigo Caio afastou o perigo.

Nas últimas duas rodadas do Brasileiro, o São Paulo enfrentará o Coritiba, no Couto Pereira, e o Bahia, já de volta ao estádio do Morumbi.

O Botafogo terá pela frente o Palmeiras, no Allianz Parque, e o Cruzeiro, no estádio do Engenhão.

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Bruno Alves, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei; Petros, Lucas Fernandes (Cueva), Shaylon (Júnior Tavares) e Marcos Guilherme; Pratto (Gilberto).

T.: Dorival Júnior.

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, João Paulo, Bruno Silva (Gilson) e Léo Valencia (Marcos Vinicius); Rodrigo Pimpão e Guilherme.

T.: Jair Ventura.

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)

Assistentes: Bruno Raphael Pires e Leone Carvalho Rocha (ambos de GO)

Público/Renda: 23.745 pagantes; 25.711 presentes/R$ R$ 635.360,00

Cartões amarelos: Gilberto (no banco) e Petros (SAO); Carli, Bruno Silva e João Paulo (BOT)