São Paulo registra aumento nas internações por Covid-19, e governo acende alerta; veja as recomendações

Com a maior circulação do vírus e o aumento na proporção dos testes positivos em farmácias e laboratórios, o Estado de São Paulo já começa a observar uma subida nas novas internações por Covid-19.

Alta da Covid-19: Tudo o que você precisa saber sobre o aumento de testes positivos e a vacinação no Brasil

Dependência da tecnologia: Cientistas mostram como os humanos poderão parecer no ano 3000; veja fotos

O índice, que estava no patamar mais baixo desde o início da pandemia, levou o Conselho Gestor da Secretaria de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde (SCPDS - SP), antigo comitê científico do coronavírus, a emitir um alerta pedindo que os 10 milhões de paulistas sem a terceira dose busquem os postos de saúde.

Em nota, a pasta afirma que foi identificada uma alta de 50% nas novas internações pela Covid-19 em leitos de enfermaria dos hospitais no estado, e de 56% no caso de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

“O grupo de especialistas segue monitorando permanentemente a pandemia e irá se manifestar sempre que houver necessidade”, afirma o infectologista David Uip, Secretário de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde de São Paulo.

Sono desregulado: Se durmo pouco de segunda a sexta-feira, posso recuperar o atraso no fim de semana?

De acordo com os dados de monitoramento epidemiológico da doença em São Paulo, a tendência de crescimento teve início no final de outubro, quando a média móvel de novas hospitalizações chegou a 113 por dia, a mais baixa desde 2020. Nesta quinta-feira, a taxa saltou para 195.

A SCPDS - SP, porém, destaca que os números seguem bem inferiores aos constatados em ondas anteriores da doença. Em julho deste ano, por exemplo, durante a última alta da Covid-19, as novas internações chegaram ao pico de 626 por dia.

Em janeiro, na chegada da variante Ômicron, foi até 1,5 mil. O cenário mais dramático foi registrado em março de 2021, quando alcançou 3,4 mil novas internações diárias - número 1.643% maior que o atual.

Alerta para asmáticos: Relações sexuais podem desencadear crises, diz estudo; entenda

Veja as recomendações para a alta da Covid-19:

Vacinação com terceira e quarta dose: Segundo a pasta, são 10 milhões de adultos sem a primeira dose de reforço no estado, aplicação que é indicada a todos com mais de 12 anos, e 7 milhões sem o segundo reforço, destinado apenas à população adulta.

Cobertura vacinal de crianças e adolescentes: A secretaria destaca que tem sido observado um aumento de internações nas faixas etárias mais baixas, e pede que os pais levem seus filhos para se imunizarem. De 3 a 11 anos, o indicado são duas doses, a partir de 12 são três aplicações.

Máscaras: A pasta recomenda em situações de maior risco de contágio, como transporte público, e em serviços de saúde, farmácias e outros locais onde há maior probabilidade da presença de pessoas sintomáticas. Além disso, orientam que os grupos mais vulneráveis, como idosos, imunossuprimidos e pessoas com comorbidades, utilizem em todos os ambientes.