São Paulo terá xepa da vacina contra Covid para bebês; veja regras

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 09.11.2022 - Enfermeira prepara vacina contra a Covid-19 na UBS Nossa Senhora do Brasil, na Bela Vista, em São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 09.11.2022 - Enfermeira prepara vacina contra a Covid-19 na UBS Nossa Senhora do Brasil, na Bela Vista, em São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade de São Paulo iniciarão na quarta-feira (16) o cadastro de crianças de 6 meses a 2 anos, 11 meses e 29 dias na fila da xepa da vacinação contra Covid-19.

A imunização terá início na quinta-feira (17) para crianças dessa faixa etária com comorbidades -imunossuprimidos e com deficiência permanente- ou que sejam indígenas, e as demais serão vacinadas quando houver doses remanescentes.

A xepa é uma forma de aproveitar os frascos de imunizante que até o fim do dia não são totalmente usados nas UBSs. No caso da vacina Pfizer Baby, a única aprovada para esse público, cada frasco possui 10 doses e o prazo de utilização após a diluição é de 12 horas. Caso não sejam aplicadas, essas vacinas têm de ser descartadas.

De acordo com a prefeitura, para conseguir a imunização na xepa, o responsável precisa inscrever o nome da criança na UBS mais próxima de casa e apresentar um comprovante de endereço. Caso haja dose remanescente no fim do expediente, a equipe daunidade entrará em contato por telefone para aplicação da vacina antes do fechamento do posto.

As crianças devem estar acompanhadas pelos pais ou responsáveis no ato da vacinação e é preciso apresentar documento de identificação e caderneta de vacinação.

No caso das crianças com comorbidades, é necessário apresentar comprovantes de condição de risco, ou seja, receitas, relatórios físicos ou digitais ou outros documentos que atestem as condições previstas. Os documentos devem conter a identificação da criança, carimbo do médico com o número do registro no CRM (Conselho Regional de Medicina) e estar dentro da validade de dois anos de emissão.

Serão consideradas como imunossuprimidas as crianças com imunodeficiência primária grave; em quimioterapia; transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas; em uso de drogas imunossupressoras; vivendo com HIV/Aids; ou fazendo uso de doses iguais ou superiores a 20 mg/dia de prednisona ou equivalente, por mais de 14 dias.

Também integram esse grupo as crianças fazendo uso de Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Azatiprina; Ciclofosfamida, Ciclosporina, Tacrolimus, 6-mercaptopurina, Infliximabe, Etanercept, Humira, Adalimumabe, Tocilizumabe, Canakinumabe, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacepte, Secukinumabe, Ustekinumabe, Tofacitinibe, Baracitinibe ou Upadacitinibe; com doenças intestinais inflamatórias; em hemodiálise; e com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

O esquema vacinal será de três doses. A segunda aplicação deve ocorrer com intervalo de quatro semanas (28 dias) da primeira dose, e a terceira deve ser administrada oito semanas (56 dias) após a segunda dose. De acordo com o Ministério da Saúde, a Pfizer Baby pode ser aplicada simultaneamente com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação.

As UBSs estarão fechadas nesta segunda (14) e terça (15) devido ao feriado da Proclamação da República e retornarão o atendimento na quarta (14). O atendimento ocorre de segunda a sexta, das 7h às 19h. Nas UBSs integradas, também há vacinação aos sábados, das 7h às 19h. A lista completa das unidades de saúde encontra-se em http://prefeitura.sp.gov.br/vacinasampa.